Através dos Flandres, a clássica que antecede a Ronde

Luiz Papillon

Com Julian Alaphilippe e Tom Pidock, clássica belga no meio da semana também marca retorno do brasileiro Vinicius Rangel às competições.

Rosealare a Waregem, de encostas e paralelepípedos

Nesta quarta feira acontece a 77ª Dwars door Vlaanderen ou em português Através dos Flandres. Uma clássica com menos de 200km que serve de aperitivo para a monumento belga Ronde van Vlanderen a “Volta a Flandres” que acontece neste domingo.

Sem Wout van Aert ou Mathieu van der Poel a prova ainda tem favoritos do quilate de Julian Alaphilippe e Thomas Pidcock. A equipe Jumbo-Visma aposta novamente no forte francês Christophe Laporte que “ganhou” a vitória da Gent-Wevelgem de presente no último domingo. O fato foi criticado por alguns ciclistas ilustres como Tom Boonen, Fabian Cancellara e Eddy Merckx.

A prova percorre subidas curtas e duras intercaladas com trechos de paralelepípedos em um clima hostil. O frio próximo a 6º e um vento superior a 22km/h são previstos para a região. A transmissão para o Brasil é pela ESPN no aplicativo Star+ a partir das 09:10 desta quarta feira 29 de março.

Vinicius Rangel disputa a Dwars door Vlaanderen

Para o fã brasileiro, a novidade é o retorno do brasileiro Vinicius Rangel as competições. Fora de disputa desde a Clássica de Almeria em fevereiro, Rangel faz uma das últimas provas antes de viajar ao Panamá onde acontece o Pan Americano de Ciclismo, onde está convocado para defender as cores da seleção brasileira.

Campeonato Panamericano de Ciclismo dá vaga Olímpica

Eddy Merckx uma vez foi desclassificado na prova, jurou e cumpriu: Nunca mais correu a Dwars door Vlaanderen

Walter Godefroot, Eddy Merckx e um ciclista da Salvarani (Possivelmente Marino Basso) no Tour de France 1972
Walter Godefroot, Eddy Merckx e um ciclista da Salvarani (Possivelmente Marino Basso) no Tour de France 1972

O ano era 1966, uma fuga com quatro ciclistas chegou no fim para o sprint, Walter Godefroot caiu e cruzou a chegada no chão enquanto seu adversário de fuga o jovem Eddy Merckx aos 21 anos comemorava a vitória. Veio então a decisão do juri que relegou Merckx ao fim do grupo e Godefroot recebeu as honras da vitória. Furioso, Merckx jurou e cumpriu: nunca mais disputou a Dwars door Vlaanderen. Sendo assim junto com a E3 uma das poucas clássicas que o maior de todos não tem em seus palmares.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

UCI divulga transmissão da Copa do Mundo de MTB

Com o nome de Mountain Bike World Series, a UCI anunciou como será a transmissão das 13 etapas da Copa do Mundo de MTB. As categorias de base, Junior (Sub-19) e Sub-23 assim como as semi-finais da elite de Downhill serão disponibilizadas gratuitamente no Youtube, assim como melhores momentos, por […]

leia também

Receba as novidades em seu e-mail