Governo João Doria declara guerra ao ciclismo de estrada.

Portaria publicada pelo DER de São Paulo retira o ciclista desportivo do grupo de utilizadores das estradas do Estado de São Paulo. Taxas para realização de eventos em rodovias podem ultrapassar R$100.000.

Nota do Editor: Após repercussão negativa o governo revogou a portaria, leia mais clicando aqui.

Pelote na Rodovia dos Bandeirantes | Foto Tiago Frediani
Pelote na Rodovia dos Bandeirantes | Foto Gustavo Figueiredo / Arquivo Pessoal

Todo ano em junho a imprensa especializada e os comentaristas da transmissão do Tour de France precisam responder uma pergunta do espectador:

– Por quê não há brasileiro disputando o Tour de France?

Você pode elencar uma série de fatores que passam pela Confederação Brasileira de Ciclismo e suas Federações, pelo doping sistemático no passado e pela falta de cultura do ciclismo. Contudo nada joga tão contra o ciclismo como o governo, justamente quem deveria e poderia fomentar o esporte.

Portaria 122 da Secretaria Estadual de Transportes coloca fim ao ciclismo de Estrada em São Paulo

A portaria 122 datada de 15 de outubro na prática proíbe o ciclismo de estrada. Seja na forma de competição oficial ou mesmo um treino entre ciclistas, o governo estabelece taxas que ultrapassam R$100.000,00 para a utilização de vias e acostamentos das rodovias estaduais.

A UFESP (Unidade Fiscal do Estado de São Paulo) é de R$29,09, assim a taxa mínima para realização de atividade nas rodovias paulistas é de R$15.018,00 e máxima de R$105.127,19. Além da questão financeira, há outras armadilhas no texto. É vedada utilização da rodovia para quaisquer provas ou eventos quando não houver acostamento ou em trechos de serra.

Justamente trechos de serra ou estradas de baixo volume de trânsito sem acostamento são utilizadas no ciclismo de estrada especialmente por pequenos organizadores.  A portaria é clara quanto a qualificação do ciclismo como evento ilegal:

“Os comboios de ciclistas serão qualificados como tentativa de provas, eventos ou competições desportivas.”

Assim grupos que circulam com segurança e carro de apoio devem passar a ser perseguidos nas estradas paulistas. Nas disposições finais fica ainda evidente que o ciclismo enquanto treinamento ou desporto é o inimigo:

“O disposto nesta portaria não se aplica aos transeuntes que utilizam os ciclos como meio de transporte, quais sejam, deslocamento ao trabalho  e trânsito comum, ou seja, aquele alheios às atividades de desporto e eventos em geral…”

Embora claramente inconstitucional, o texto da portaria discrimina quem pratica desporto da utilização como meio de transporte e não deixa clara a definição de grupo ou comboio. Essa brecha permitirá uma eventual fiscalização reter ciclistas, afinal um comboio de duas bicicletas é um comboio.

31 thoughts on “Governo João Doria declara guerra ao ciclismo de estrada.

    1. Mais um absurdo,desse mini comunista, pura discriminaçao, e preconceito, ao inves de criar soluçoes nas estradas tipo fazer acostamento nas rodovias, q ñ tem, criar locais. De travessia para garantir segurança…e mais facio contrariar a constituiçao e criar proibiçao.
      O q nos resta fazer, uma bicicliciata, em protesto parando as principais rodovias ,contra esse fdp…

  1. Simplesmente Ultrajante o que este governo vem fazendo em nosso estado, primeiro acaba com direitos dos funcionários públicos, agora destroem nossa categoria de ciclismo já tão sofrida e abandonada, sem o mínimo de incentivo ao atleta amados e profissional.
    Será que vamos continuar a assistir toda essa desgraça e continuar de braços cruzados dizendo amém???
    Já passou da hora te nos manifestarmos e dizer basta a toda essa vergonha alheia.

    1. Josevaldo José de Souza..

      Gente até quando vamos ter lei de envadir o bolso do mais franco corta a regalias dos políticos e faça eles viver como nós trabalhadores que nem ter direito de se tiverti com um robi que e um esporte saldavel e com custo baixo q já não conseguimos pagar essas cademias que só aumenta mensalidades, e somos reblimidos com mutas, e uma vergonha e absurdo, acorda Brasil, quantos direito vamos perder, e esses políticos na mamadas de imposto sobre o trabalhador, vamos tirar o direitos das regalias, de senadores, deputados, perfeitos, governadores e de vários outros com salário e benefícios absurdo

    1. Lamentável um retrocesso… Governo de SP fazendo um mal a quem gosta de fazer o bem… Jogo político com ciclistas não funciona…

  2. Na real o ciclismo está desse jeito porque não tem que defenda o esporte Federação e Confederação só pensa em lucro,a prática do esporte já é difícil por riscos no trânsito roubos e etc agora querem tirar o direito de ir e vir era só o que faltava!

  3. Um absurdo, isso acontecer em pleno seculo XXI e partindo de quem deveria nos proteger, incentivar, motivar a patrocinar. Nota 0, para esse “Governo”

  4. Essa portaria está indo contra o CTB em seu Art. 58
    “Nas vias urbanas e nas rurais de pista dupla, a circulação de bicicletas deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa, ou acostamento, ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos da pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos automotores.”

    https://www.ctbdigital.com.br/artigo/art58

    1. Márcio é isto aí, já tem lei federal que já não nós representa. Vale lembrar, federação e confederação também não nós representa a solução está na constituição e principalmente na união dos ciclista (povo). Dória fdp.

    1. Infelizmente um governo que não cobra acostamento conservados das concessionárias, vem com mais essa de cobras taxas de ciclistas em acostamentos danificados, cadê o direito de liberdade do cidadão?

  5. Governador simplesmente indo contra as leis de trânsito e contra a tendência do que está acontecendo nos países mais desenvolvidos. Ê um …. mesmo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Após repercussão negativa, Governo revoga portaria que limitava ciclistas São Paulo

O governo do Estado de São Paulo revogou nesta tarde a Portaria 122 da Secretaria de Logística e Transportes que limitava a circulação de ciclistas nas estradas e rodovias de São Paulo. A repercussão negativa entre ciclistas de todo brasil, cicloativistas e da imprensa levou o governo a revogar a […]

leia também

Receba as novidades em seu e-mail