Mathieu Van der Poel vence em chegada “de velódromo” a Dwars Door Vlaanderen!

Luiz Papillon

A semi-clássica belga Dwars Doors teve vitória inédita! Mathieu Van der Poel de 24 anos chegou a primeira vitória World Tour na carreira ao bater o francês Anthony Turgis no sprint. Neto de Raymond Poulidor e filho de Adrie Van der Poel o holandês  atual campeão mundial de ciclocross faz história. A fuga do dia perdeu força mas o grupo perseguidor comandado por Van der Poel atacou e conseguiu uma vantagem segura para o pelote. No quilômetro final parecia velódromo, Van der Poel olhava para trás e esperava o arranque, até que Anthony Turgis lançou-se mas o holandês estava no seu dia e venceu! Destaque também para Lukas Postlberger, o campeão austríaco esteve praticamente a prova toda na fuga.

https://web.facebook.com/dwarsdoorvlaanderen/videos/801622100219159/

74ª Dwars Door Vlaanderen – 182.8km

Mais uma semi-clássica belga, a Dwars Door Vlaanderen ou a corrida cruzando os Flandres numa tradução literal. É a corrida do meio da semana flamenga que começou com a E3 Binck Banck, passou pela Gent Wevelgem e termina domingo na Ronde van Vlaanderen. Disputada desde 1945, a prova é parte do circuito mundial (World Tour) no mais alto nível do ciclismo mundial. Uma curiosidade é que a prova de 1946 até 1964 foi disputada em duas etapas.

Com trajeto bastante peculiar, a primeira parte da prova é basicamente plana e depois começam os “bergs” as colinas curtas e inclinadas que desgastam os ciclistas. Antes da prova a primeira baixa, Sep Vanmarcke não largou devido a queda na E3 BinckBanck por conta de dores no joelho. Greg Van Avermaet também não disputou a prova se preservando para a Ronde no domingo.

A prova começou em Roeselare com um trecho neutralizado de 4.5km, logo a fuga do dia se estabeleceu com:

  • Jonas Koch – CCC
  • Lukas Postlberger – Bora
  • Michael Herpburn – Mitchelton
  • Nelson Oliveira – Movistar
  • Ramon Sinkeldam – Groupama Fdj
  • Zhandos Bizjigitov – Astana
  • Kris Boeckmans- Vital Concept
  • Minkel Raim – Israel Cycling

Paralisação da prova masculina

Paralisação da Prova Masculina | TV Caption

Perto da primeira zona de alimentação a fuga tinha 2:30 de vantagem. Ai ocorreu uma paralisação não explicada pela organização. A equipe Trek indicou que a prova parou para passagem de uma ambulância, porém não foi avistada. Aparentemente retiveram a ponta de prova para evitar que alcançasse o pelote feminino que ia mais lento. Relargaram alguns minutos depois com a direção de prova segurando o pelote afim da fuga restabelecer a vantagem. Curioso foi ver Lukas Postlberger dando entrevista para o canal belga Sporza enquanto a prova estava neutralizada.

Lukas Postlberger dá entrevista pedalando para Sporza | TV Caption

Assim que recomeçaram uma queda no pelote afetou Jasper Philipsen e Silvan Dilier e outros ciclistas, mas conseguiram todos voltar a prova. Na ponta do pelote Mathieu Van der Poel, campeão mundial de ciclocross começou a trabalhar. Mathieu atacou por diversas vezes contribuindo muito para o pelote quebrar.

Queda de Silvan Dillier e Jasper Philipsen | TV Caption

Os bergs começaram a pesar nos escapados e um a um foram sendo neutralizados, até que restou Nelson Oliveira na ponta com 20 segundos sobre a perseguição. Na marca de 35km para o final Lukas Postlberger atacou da perseguição e alcançou Oliveira. Atrás o grupo de perseguição mostrava qualidade com Bob Jungels, Tiesj Benoot, Anthony Turgis e Mathieu Van der Poel.

Van der Poel ataque atrás de ataque e final de velódromo!

A cada berg, Mathieu Van der Poel atacava tentando desgarrar, Bob Jungels e Benoot se revezaram na tentativa de neutralizar o holandês. Com vantagem na casa de 50 segundos e 7km para o final era seguro dizer que o grupo venceria. No quilômetro final Benoot tentou o ataque mas ficaram no gato e rato de velódromo até que o francês Anthony Turgis atacou. Vieram todos atrás e quem venceu foi Mathieu Van der Poel em sua primeira vitória no mais alto nível do ciclismo mundial!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Sexismo no Ciclismo: Emma O'Reilly x Lance Armstrong

Neste segundo texto sobre o sexismo no ciclismo, cito um caso onde uma mulher foi assediada moral e socialmente. Falo de uma das primeiras pessoas que acusaram Lance Armstrong de trapaça, Emma O’Reilly. O intuito dessa publicação é reafirmar a necessidade de evolução do nosso esporte no respeito a mulher. […]

leia também

Receba as novidades em seu e-mail