Mads Pedersen vence a KBK pela Trek Segafredo!

Luiz Papillon

Em uma prova espetacular com perseguição incansável a fuga, a clássica KBK foi vencida por Mads Pedersen da equipe Trek Segafredo! O campeão mundial de 2019 venceu o sprint. O francês Anthony Turgis da Total Direct Energie foi o segundo e Tom Pidcock o terceiro pela Ineos Grenadiers.

Kuurne-Brussels-Kuurne

Tradicionalmente realizada no domingo após a Omloop Het Nieuwsblad, a clássica Kuurne Brussels Kuurne tem 197km de extensão e doze “bergs” (subidas). Realizada desde 1945, a prova deixou de passar por Bruxélas, capital belga ainda nos anos 60 e o trajeto foi deslocado para as Ardenas flamengas. A prova chegou a ter o nome alterado para Omloop der beide Vlaanderen (Circuito das duas Flandres) e desde 1979, os organizadores retomaram o nome original.

Premiação da prova em Kuurne, uma cerveja, um burro de pelúcia e um buquê de flores
Premiação da prova em Kuurne, uma cerveja, um burro de pelúcia e um buquê de flores | Foto Flanders Classics

O tradicional prêmio da prova é um burro de pelúcia, geralmente acompanhado por um belo buquê de flores e cerveja belga. O burro, como símbolo de Kuurne é como são chamados os moradores de Kuurne. Esse costume veio do tempo em que os pequenos agricultores chegavam muito cedo ao mercado de Kortrijk para vender seus produtos. Ao cruzar a cidade com suas carroças puxadas por burros, acabavam por acordar os moradores que exclamavam:

“Lá vem aqueles burros de Kuurne”

73ª Kuurne Brussels Kuurne – 197km

Com nível 1.pro, a KBK é uma prova do circuito ProSeries, que reúne as provas da segunda divisão do ciclismo mundial, abaixo do WorldTour. Ao contrário da Omloop, é uma prova que geralmente acaba em sprint, porém ciclistas como  vencedor de 2020 Kasper Asgreen podem surpreender escapando antes, e foi o que aconteceu nas últimas duas edições.

O ciclismo é tão popular na Bélgica que os organizadores não divulgaram o trajeto exato da prova para o público. A ideia é não estimular que as pessoas aglomerem-se assistindo a prova na rua. Entre os favoritos para a prova de hoje estavam Mathieu Van der Poel (Alpecin Fenix), Arnaud Démere (Groupama FDJ) e Greg Van Avermaet (Ag2r-Citroen).

A fuga do dia foi composta por seis ciclistas e obteve seis minutos de vantagem máxima:

  • Ludwig De Winter (Intermarché)
  • Artyom Zakharov (Astana Premier Tech)
  • Patrick Gamper (Bora Hansgrohe)
  • Maciej Bodnar (Bora Hansgrohe)
  • Jonas Hvideberg (Uno-X)
  • Tom Paquot (Bingoal Wallonie Bruxelles)

Van der Poel ataca a 82km do final

Van der Poel já havia se envolvido em um pequeno acidente no início de prova. O holandês bateu atrás do carro da própria equipe, sem ferimentos. A 82km do final, Mathieu Van der Poel atacou do grupo do pelote para iniciar a perseguição a fuga que levava mais de três minutos de vantagem. Junto com Mathieu, escapou o equatoriano Jhonatan Narváez (Ineos Grenadiers). Logo a dupla uniou forças a fuga o que motivou outros grupos a lançarem perseguições.

Um grupo com Avermaet, Stuyven, Trentin e outros lançou uma perseguição a fuga. Apenas a 34km do final o grupo colocou na mira o quarteto liderado por Van der Poel. A caça a fuga seguiu nos quilômetros seguintes até a entrada no circuito a 15km do final com uma passagem pela chegada. A fuga era sustentada por:

  • Mathieu Van der Poel (Alpecin Fenix)
  • Artyom Zakharov (Astana Premier Tech)
  • Patrick Gamper (Bora Hansgrohe)
  • Jhonatan Narváez (Ineos Grenadiers)
  • Jonas Hvideberg (Uno-X)

Dez quilômetros finais

A perseguição foi liderada especialmente pela Lotto Soudal com um grupo de 30 ciclistas. Na ponta os cinco escapados lutavam para manter a vantagem e conseguiram entrar nos 3km finais sustentando uma vantagem de 15 segundos. Até que na marca de 1.5km para o final, a fuga foi engolida pela perseguição.

No sprint

Mads Pedersen da equipe Trek Segafredo! O campeão mundial de 2019 venceu o sprint. O francês Anthony Turgis da Total Direct Energie foi o segundo e Tom Pidcock o terceiro pela Ineos Grenadiers.

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Strade Bianche 2021

A Strade Bianche é uma prova neoclássica, uma prova jovem com apenas 15 edições mas com um cenário fantástico. Criada com o nome “La Eroica Strade Bianche” em 1997 como evento para bicicletas clássicas em formato de granfondo ao redor da bela Siena na Itália. Desde 2007 a corrida passou a ter versão UCI World Tour, […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: