Jasper Philipsen vence etapa mais longa da Vuelta!

Luiz Papillon

Parecia que seria vitória da fuga, mas hoje o pelote foi impiedoso. O italiano Mattia Cattaneo atacou a 32km do final mas foi alcançado pelo pelote já dentro dos quilômetros finais na Vuelta 2020. No sprint em subida, a vitória ficou para o belga de 22 anos Jasper Philipsen da UAE Emirates. Em segundo ficou o alemão Pascal Ackermann pela Bora Hansgrohe e em terceiro o também alemão Jannik Steimle da Deceuninck Quick Step.

Vuelta 2020 – Etapa 15 — Mos a Pueblo de Sanabria – 230.8km

A Vuelta partiu hoje de Mos, uma cidade próxima a Vigo que faz parte do caminho de peregrinos portugueses a Santiago de Compostela. Antes das mudanças causadas pela pandemia do coronavirus, essa seria uma das etapas a entrar pelo território português, com chegada na cidade do Porto. Contudo, pela questão sanitária o percurso foi alterado e a chegada foi em Pueblo de Sanabria na comunidade de Castilla e Leon. Pueblo de Sanabria, que preserva algumas vilas medievais, tendo também no Parque Natural do Lago de Sanabria um atrativo turístico.

Vento Contra e fuga qualificada

Com 230.8km, a mais longa etapa desta edição da Vuelta e previsão de vento de frente, a etapa foi dura em um terreno acidentado com cinco subidas categorizadas. O tempo esteve ruim durante toda etapa com frio, vento e chuva.

A fuga do dia iniciou-se com treze ciclistas e manteve uma vantagem boa para o pelote. Mattia Cattaneo atacou  e foi solo a partir da marca de 32km para o final.

No final da última subida categorizada, Mattia Cattaneo da Deceuninck Quick Step passou escapado com 1:29 de vantagem para os remanescentes da fuga. Parecia que o italiano venceria solo, mas o pelote acelerou na descida e rapidamente alcançou os remanescentes da fuga. Já dentro dos 5km finais a vantagem de Cattaneo caia abaixo dos 30 segundos, indicando que não seria seu dia. No sprint em subida, a vitória ficou para o belga Jasper Philipsen da UAE Emirates. Em segundo ficou o alemão Pascal Ackermann pela Bora Hansgrohe e em terceiro o também alemão Jannik Steimle da Deceuninck Quick Step. Essa foi a primeira vitória de Philipsen em uma grande volta.

Pela classificação geral o pelote chegou sem corte e portanto sem mudanças na classificação geral. O que foi definida hoje é a camisa de montanha, Guillaume Martin da Cofidis não pode ser mais alcançado matematicamente e, claro se completar a Vuelta, será o Rei da Montanha da Vuelta 2020.

Primoz Roglic é o líder na classificação geral.

Primoz Roglic (Jumbo Visma) lidera a disputa por pontos.

Guillaume Martin (Cofidis) é o atual rei da montanha.

Enric Mas (Movistar) lidera entre os jovens até 25 anos.

A Movistar é a melhor equipe da Vuelta 2020.

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Dinamarquês Magnus Cort vence na divisa de Portugal pela Vuelta!

Uma etapa muito veloz e com disputa o tempo todo. Assim foi a 16ª Etapa da Vuelta 2020. Remi Cavagna esteve na fuga o tempo todo mas foi engolido pelo pelote a 1.5km do final. No sprint selecionado, o dinamarquês Magnus Cort de 27 anos venceu pela EF Pro Cycling. […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: