A receita do sucesso!

Mesmo com 30 canais de TV passando os jogos olímpicos o dia todo esta bem difícil ver o ciclismo, tratado como um filho indesejável a categoria que distribui um total de 54 medalhas olímpicas pula de canal em canal as vezes ficando somente com áudio ambiente, esse é o retrato dos jogos olímpicos para a maioria dos brasileiros.

velodromo

O ciclismo nos jogos olímpicos Rio 2016 tem um total de 18 eventos, totalizando 54 medalhas em disputa.

Foram as competições de estrada, com a prova de resistência e o contra relógio individual logo nos primeiros dias totalizando 12 medalhas, depois chegamos ao ciclismo de pista no velódromo com um total de 30 medalhas, e a partir de quinta feira o evento de BMX com 6 medalhas e finalizando o Mountain Bike com 6 medalhas.

Muito foi falado sobre as lendas Phelps e Bolt com suas marcas incríveis, mas não vimos destaque ao feito de Sir Bradley Wiggins ao alcançar o quinto ouro olímpico e totalizar oito medalhas em três olimpíadas ou mesmo Jason Kenny que é o bi-campeão na prova de sprint e suas cinco medalhas de ouro, mera coincidência serem os britânicos os maiores medalhistas no ciclismo? Mera coincidência o Tour de France ter tido quatro vitórias britânicas nas últimas cinco edições?

Bruxaria, voodoo ou magia? O sucesso britânico no ciclismo envolveu muito mais que isso, envolveu seriedade, investimento a longo prazo e muita dedicação!

Voltemos no tempo, na década de 90 a cidade de Manchester queria candidatar-se a sede olímpica, em 1994 o Centro Nacional de Ciclismo foi construído como parte de um plano de recuperação urbana de uma área degradada, suas instalações incluem uma pista de BMX e o Velódromo, ambos fechados e inéditos na Grã Bretanha, desde então o local recebeu inúmeras provas mundiais, nacionais e locais, serviu de escola de treinamento para gerações de ciclistas, crianças a partir dos nove anos de idade são bem-vindas e podem não só conhecer como treinar no local.

 

O ciclismo britânico é comandado não só pelo presidente da confederação mas por um conselho eleito e 250 funcionários que trabalham em dez regiões do Reino Unido para ajudar clubes, organizadores e autoridades locais a melhorar as formas de se praticar o ciclismo. Os ganhos de performance olímpica foram sentidos ao longo dos anos, de apenas duas medalhas nos jogos de Atlanta em 1996 para doze em 2012 com oito de ouro e essa fábrica de medalhas é também um meio de se transformar a vida de pessoas que podem viver de ciclismo.

A receita do sucesso britânico passou pelo financiamento via loteria, pelo investimento de uma cidade e pela manutenção de um programa de formação de atletas, não foi um estalar de dedos que produziu uma geração campeã. Infelizmente esse aprendizado parece passar longe dos olhos dos dirigentes e políticos brasileiros, sempre acostumados ao imediatismo, mas falarei disso no próximo texto.

 

Planejamento, uma palavra que é sempre propagada durante 6 meses a cada dois anos no Brasil e depois desaparece. Esse é o segredo.

 

 

Confira um vídeo do velódromo de Manchester:

Confira o vídeo do circuito BMX: