Ciclista é morto por jogador do Flamengo: Não foi acidente!

Luiz Papillon

Na noite deste sábado, mais um ciclista perdeu a vida ao ser atropelado por um automóvel. Desta vez o condutor era famoso: O jovem jogador de futebol Ramon do Flamengo.

Bicicleta do entregador morto por jogador do Flamengo | Foto Reprodução Redes Sociais
Bicicleta do entregador morto por jogador do Flamengo | Foto Reprodução Redes Sociais

Em mais um exemplo trágico dos efeitos da alta velocidade, o jogador Ramon do Flamengo atropelou um ciclista que faleceu a caminho do hospital. Seu automóvel ficou bastante danificado, indicando a alta velocidade. Ramon ficou no local, chamou o atendimento e não estava embriagado.

Para os policiais que atenderam a ocorrência, Ramon indicou que o ciclista cruzou a via com o semáforo aberto para o sentido perpendicular. Já testemunhas indicam que o semáforo para o ciclista estava danificado.

A polícia civil do 16ª DP do Rio de Janiero irá fazer investigação sobre o crime. No entanto as chances de alguém ser condenado são mínimas no Brasil. O fato é que uma via com velocidade máxima de 70km/h ter um semáforo desligado mostra que existem mais envolvidos do que Ramon e o ciclista.

Acidente ou Sinistro? Entenda a diferença!

Desde a publicação da norma brasileira NBR 10697/2018, foi corrigida a expressão “acidente de trânsito”, substituída por “sinistro de trânsito”. Essa metodologia impacta diretamente nas ações políticas para a preservação da vida. Ao retirar o fator do acaso, ou seja o “acidente” como fato que ocorreu “sem ninguém ter culpa”.

Carro do Jogador de futebol Ramon do Flamengo | Reprodução Redes Sociais
Carro do Jogador de futebol Ramon do Flamengo | Reprodução Redes Sociais

Os fatores que concorrem para um sinistro são em muitas vezes previsíveis. Começando pelo traçado da via, velocidade máxima permitida, iluminação, sinalização e passa pela segurança do veículo para só então chegar no condutor. Quando uma cidade escolhe ter uma via larga, com múltiplas faixas, mal iluminada e permitindo uma velocidade de autoestrada, é conivente e concorrente no sinistro que ali ocorre.

Por isso políticos adoram o termo acidente, afinal retira da equação toda a responsabilidade deles de cerca de 30.000 mortes por ano e alguns bilhões de reais em perdas sociais e financeiras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Santander Diverge Gravel Race em Botucatu reuniu fãs da modalidade!

Uma prova descontraída com um público apaixonado pela modalidade que é a cara do Brasil. Falamos claro da Santander Diverge Gravel Race, realizada pela terceira vez em Botucatu no interior de São Paulo. O Celeiro Restaurante, em Botucatu (SP), foi palco neste fim de semana da terceira edição da Santander […]
Lais Saes durante a disputa (Fabio Piva / Santander Brasil Ride)

leia também

Receba as novidades em seu e-mail