Mark Cavendish voltou pra matilha!

Luiz Papillon

Zico no Flamengo, Romário no Vasco, Cavendish na Quick-Step. Algumas relações no esporte profissional rezam pela emoção. E a emoção venceu a razão na Deceuninck Quick Step para que Mark Cavendish encerre a carreira na equipe de Patrick Lefevere.

Com um legado de 44 vitórias pela equipe, Marck Cavendish será o modelo do novo kit da equipe para 2021.

“Eu não posso explicar o quão satisfeito estou em voltar para a Deceuninck-Quick STep. Eu nunca escondi o carinho pela minha passagem pela equipe e para mim é como voltar para casa. Com um elenco incrível de ciclistas eu mal posso esperar para trabalhar novamente com o corpo técnico, muitos deles que estavam aqui durante minha primeira passagem e foram parte de um dos períodos de maior sucesso na minha carreira, uma era que tenho imenso orgulho. Mesmo com a dificuldade extrema da temporada atípica nesse ano, eles conseguiram mostrar como são fortes e unidos, o que espero fazer ainda mais. Eu não posso esperar por voltar ao Wolfpack (Matilha de Lobos).” Mark Cavendish

Mark Cavendish, o Míssil

Se você veio de Marte ou alguma outra galáxia distante, relembro que Mark Cavendish foi um dos melhores velocistas deste século. Com a carreira iniciada em 2007, Cavendish venceu a Schelderpijs em 2007 pela T-Mobile. O pequenino britânico da Ilha de Man começava uma história que teria mais de 100 vitórias profissionais antes dos 30 anos de idade.

Cavendish venceu 48 etapas de grandes voltas (todas no Tour de France e Giro d’Italia). Venceu a Milão Sanremo, o campeonato mundial, enfim tudo que um ciclista poderia desejar, mas quando se é o número um de um esporte, sempre queremos mais.  A certeza da qualidade e capacidade faziam apenas que os críticos apostassem não “se” mas quando Cavendish bateria o recorde de 34 vitórias em etapas do Tour de France, pertencente a Eddy Merckx.

Veio então a temporada de 2017 e Cavendish foi diagnosticado com o vírus Epstein-Barr que mina a imunidade. E Cavendish nunca mais foi o mesmo. Sem vitórias desde 2017, Cavendish demorou a se encontrar até que sob a direção de Rod Ellingworth na Bahrain McLaren, redescobriu o prazer em pedalar. Cavendish durante a maluca temporada de 2020 fez algumas provas sendo plano B, ou fazendo papel de gregário mostrando uma resiliência enorme.

O sinal de que tudo poderia acabar melancolicamente veio na Gent Wevelgen, com um emocionado Cavendish declarando que aquela poderia ser a derradeira corrida em sua longa carreira. Para alegria do fã de ciclismo, ainda teremos mais um ano de Cavendish.

 

Ficha Pessoal de Mark Cavendish

Nascimento: 21 de Maio de 1985

Vitórias: 146 sendo 30 no Tour de France, 15 no Giro d’Italia.

Campeão Mundial de Ciclismo em 2011
Campeão Mundial de Pista no Madison em 2005, 2008 e 2016.

Equipes pelas quais competiu:

  • 2021 – Deceuninck Quick Step
  • 2020 – Bahrain McLaren
  • 2016-2019 – Team Dimension Data
  • 2013-2015 – Etixx Quick Step
  • 2012 – Team Sky
  • 2008-2011 – HTC Highroad
  • 2006 -2007 – T-Mobile
  • 2005 – Sparkasse

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Bicicleta Faz bem Pro Brasil

Iniciativa da Abraciclo valoriza o produto nacional como gerador de empregos, para preservação da floresta amazônica e para atingir o desenvolvimento sustentável. A Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – ABRACICLO lança a campanha “Bicicleta #FazBemProBrasil. A inciativa mostra várias facetas do produto nacional: de […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: