Quintana vence e Schachmann é campeão da Paris Nice

Luiz Papillon

Nairo Quintana voa alto na Paris Nice e vence chegada ao topo da La Comiane. Com um ataque a 4km do fim o colombiano chegou a sua 44ª vitória tendo vencido em praticamente todas provas por etapas do circuito mundial. O alemão Max Schachmann da equipe Bora Hansgrohe, se defendeu bem e conquistou o título da Paris Nice 2020, o maior de sua carreira. Em segundo lugar ficou o belga Tiesj Benoot da Sunweb e em terceiro o francês Thibaut Pinot pela Groupama FDJ.

Coronavírus e a Paris Nice

A etapa de hoje era para ser a penúltima etapa da Paris Nice 2020, mas por conta da pandemia global de coronavírus, tornou-se a final. Até o momento dezenas de provas de ciclismo estão canceladas assim como outros esportes e atividades. Ontem foi a vez do Giro d’Italia anunciar que a largada em Budapeste na Hungria será adiada. A própria Ronde Van Vlaanderen está em risco ainda que não tenha sido oficialmente cancelada.

Paris Nice Etapa 7 – Nice a Valdeblore La Colmiane

A etapa partiu de Nice com quatro subidas categorizadas sendo a chegada ao alto em Valdeblore La Colmiane. Entre as desistências do dia estavam os remanescentes da Israel (Pollit, Van Asbroeck e Jenthe Biermans), Roger Kluge da Lotto Soudal, Ben O’Connor da NTT e o campeão mundial Mads Pedersen da Trek. Assim 92 ciclistas largaram em Nice, rapidamente a fuga do dia se formou com:

  • Alberto Bettiol – EF Pro Cycling
  • Anthony Peres – Cofidis
  • Aurelien Paret-Peintre – Ag2r
  • Julian Alaphilippe – Deceuninck Quick Step
  • Nicolas Edet – Cofidis
  • Thomas De Gendt – Lotto Soutal

Edet partiu em busca de pontos para defender a camisa de rei da montanha, vencendo as três primeiras metas de montanha. Após garantir a camisa, Edet teve um problema mecânico e precisou parar para arrumar, ainda conseguiu retornar a fuga. Na ponta sexteto manteve uma vantagem ao redor de  2:40 para o pelote restando 40km para o final. Veio a última meta de sprint, vencida por Alberto Bettil. Então restava uma descida e a subida final a Valdeblore La Colmiane.

Nairo Quintana brilha em Valdeblore La Colmiane

Assim que o pelote começou a subir a La Colmiane, a equipe Arkéa tomou conta da ponta do pelote. A vantagem da fuga começou a diminuir e um a um os escapados vão desistindo. Na ponta Thomas De Gendt seguia escalando com Julian Alaphilippe na roda. No pelote os gregários iam ficando para trás, Dayer Quintana, Felix Grossschartner fizeram seus trabalhos e o pelote estava reduzido.

Na ponta De Gendt acelerou e se livrou de Alaphilippe, atrás a primeira dupla que tentava fazer a ponte trazia Winner Anacona (Arkéa) e Guillaume Martin (Cofidis). Na marca de 8km para o final haviam apenas dez ciclistas no pelote reduzido com Quintana, Schachmann, Higuita e Guillaume que fora alcançado pelo grupo. De Gendt seguia firme na ponta 1:10 a frente agora do grupo de favoritos. O primeiro favorito à atacar foi Romain Bardet, o pequeno francês da Ag2r mostrou ação mas não conseguiu descolar o suficiente do pelote.

A sensação ainda era estranha, ver uma subida final na França sem o habitual público vibrando, tempo de pandemia. De volta a prova De Gendt seguia resistindo com um minuto de vantagem quando veio o ataque de Nairo Quintana. Coroão e uma paulada que demoliu o grupo de favoritos. Nibali tentava combater mas Nairo seguia abrindo. Nibali tentava dar um ataque para deixar o pelote para trás mas não conseguia. Na ponta Quintana passou “voando” por De Gendt, estava claro, ninguém pegaria o pequeno colombiano. A luta seria pelo segundo lugar.

Pinot passou a liderar o pelote com Seguio Higuita em sua roda. Na ponta Quintana seguia voando para vitória cruzando a marca de 1km para vitória, atrás na marca de 2km Tiesj Benoot atacou, o belga poderia tomar a liderança na luta pelo título de Schachmann. Nairo Quintana cruzou para sua 44ª vitória profissional e os olhares logo olharam para trás. Benoot vinha um pouco a frente do grupo de Schachmann e no final a tensão acabou para o alemão que chegou completamente exausto.  Pinot foi o segundo colocado e melhor francês na classificação geral com o quinto lugar na classificação geral.

Schachmann exausto deitou no chão em um misto de cansaço e alegria. Sua maior vitória na carreira, Benoot ficou ainda com a camisa verde de líder por pontos e Sergio Higuita com a camisa de melhor jovem. Nicolas Edet foi o rei da montanha da Paris Nice 2020.

Classificação da Etapa 7 – Paris Nice 2020

1 Nairo Quintana (Colômbia) Arkéa-Samsic 04:27:01

2 Tiesj Benoot (Bélgica) Team Sunweb 00:00:47

3 Thibaut Pinot (França) Groupama-FDJ 00:00:56

4 Sergio Higuita (Colômbia) EF Pro Cycling

5 Vincenzo Nibali (Itália) Trek-Segafredo

6 Max Schachmann (Alemanha) Bora-Hansgrohe 00:00:58

7 Guillaume Martin (França) Cofidis 00:01:19

8 Tanel Kangert (Estônia) EF Pro Cycling 00:01:22

9 Romain Bardet (França) AG2R La Mondiale 00:01:32

10 Rudy Molard (França) Groupama-FDJ

Classificação Final – Paris Nice 2020

1 Max Schachmann (Alemanha) Bora-Hansgrohe 27:14:23

2 Tiesj Benoot (Bélgica) Team Sunweb 00:00:18

3 Sergio Higuita (Colômbia) EF Pro Cycling 00:00:59

4 Vincenzo Nibali (Itália) Trek-Segafredo 00:01:16

5 Thibaut Pinot (França) Groupama-FDJ 00:01:24

6 Nairo Quintana (Colômbia) Arkéa-Samsic 00:01:30

7 Rudy Molard (França) Groupama-FDJ 00:02:03

8 Tanel Kangert (Estônia) EF Pro Cycling 00:02:16

9 Felix Großschartner (Áustria) Bora-Hansgrohe 00:03:39

10 Søren Kragh Andersen (Dinamarca) Team Sunweb 00:04:36

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Coronavírus estimula uso da bicicleta!

Ainda no final de inverno na cidade de Nova Iorque nos EUA, o uso da bicicleta para as tarefas mais simples aumentou com o coronavírus. Afim de evitar aglomerações no transporte público, muitos moradores estão optando por utilizar a bicicleta. Programa de uso compartilhado de bicicletas teve aumento de 67% […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: