Higuita lidera na Colômbia e Lauro Chaman é o mais combativo do dia

O jovem Sergio Higuita, colombiano de 22 anos da equipe EF Education First assumiu a liderança ao vencer a etapa com final em Santa Rosa de Viterbo. O campeão do Tour de France Egan Bernal da Ineos foi o segundo, seguido de Julian Alaphilippe da Deceuninck Quick Step. Destaque também para o brasileiro Lauro Chaman que foi escolhido o atleta mais combativo do dia, rompendo um longo hiato sem brasileiros no pódio de uma prova UCI.

Tour Colombia – Lauro Chaman e Marcelo Donnabella -Divulgação

Tour Colombia 2.1 – Resumo das primeiras etapas

Já foram quatro etapas da ótima Volta a Colômbia 2020, com o nome de Tour Colombia. Como o Pelote enfrentou problemas técnicos e um novo computador chegou esta tarde, vamos colocar em dia as novidades do ciclismo profissional.

Antes de falar da etapa 4, volto ao princípio para trazer ao leitor um panorama de como a prova se desenrolou. A equipe EF venceu o contra relógio por equipes, uma etapa disputada em Tunja a 2.800m de altitude. O ar rarefeito tornou a disputa única, uma vez que a influência do vácuo foi menor e por regra os ciclistas utilizaram bicicletas de estrada sem clip de apoio. A vantagem garantiu um fôlego a mais para a equipe norte americana que compete com dois americanos, um equatoriano e três colombianos.

Na segunda etapa, um trajeto plano teve chegada disputada em sprint. A vitória ficou com Sebastian Molano da UAE Emirates seguido de Alvaro Hodeg da Deceuninck e Itamar Einhorn de Israel SN.

Veio então a dura e montanhosa etapa com final em Sogamoso, uma montanha russa em altitude. A etapa fez muitas vítimas com 13 ciclistas sem concluir a etapa. Entre eles estavam dois brasileiros, Renan Quadri que levou um tombo e sofreu escoriações sem fraturas e Vinicius Rangel que em uma queda perdeu alguns dentes.

Tour Colombia 2.1 – Etapa 4 – Paipa a Zipaquirá – 180.5km

Uma etapa com sentimentos distintos para o Brasil, por um lado o campeão brasileiro Vitor Zucco não completou a prova, já Lauro Chaman esteve na fuga e foi eleito o mais combativo do dia. A etapa partiu de Paipa a 2.500m de altitude com subidas até quase 3.000m de altitude. A fuga do dia teve

  • Simon Pellaud – Androni Giocattolli
  • Eitenne Van Empel – Vini Zabù
  • Eduardo Corte – Canel’s Pro Cycling
  • Kristian Javi Yustre – Team Illuminate
  • Omar Alberto Mendoza – Colombia Tierra de Atletas
  • Lauro Chaman – Sel. Brasileira
  • Sebastian Castaño – Orgullo Paisa

O grupo de escapados conquistou as metas de sprint e montanha com Chaman sendo segundo colocado em ambas metas de sprint. O pelote permitiu certa tranquilidade para a fuga. Com uma longa descida antes da subida final, os escapados entraram nos 30km finais com vantagem acima de dois minutos para o pelote.

O pelote só foi esticar a partir da marca de 25km para o final. Na marca de 16km para o final o pelote já baixava a diferença para menos de 30 segundos. E no iminente fim da fuga começaram ataques pela última meta de sprint e pela camisa de combatividade. Van Empel foi o primeiro ao ataque, apenas Chaman respondeu. O brasileiro colocou um ritmo forte e liderou por algum tempo enquanto a fuga era engolida pelo pelote. Chaman venceu então a meta de sprint especial o que também lhe rendeu ao final da etapa o prêmio de mais combativo da etapa.

Final da etapa com subida e Ineos forçando

Se aproximava a subida ao Alto de Malterias de Cat3 e na ponta do pelote estava a Ineos. Um trem coeso com Egan Bernal protegido e com a estratégia clara, deixar o pelote reduzido para um ataque final. Atrás vinham ciclistas da Deceuninck misturados com a EF com seus ciclistas vestindo as camisas de líderes. Um a um os gregários foram dando tudo pela Ineos até que na marca de 4km para o final veio o ataque de Richard Carapaz. O equatoriano campeão do Giro subiu com Alaphilippe, Molano, Caicedo e Bernal na roda. O grupo líder era de dez ciclistas.

Dani Martinez da EF sofreu uma queda (a roda traseira se soltou), subiu novamente na bicicleta e conseguiu reconectar ao grupo líder. O ímpeto de Carapaz diminuiu e a pacandaria recomeçou com Carapaz, parecia que seria do equatoriano a vitória. Mas atrás o grupo vinha forte com Alaphilippe puxando o grupo e no final quem pula da roda para vencer é Sergio Higuita! Um final sensacional. Egan Bernal ficou em segundo e Alaphilippe em terceiro. Daniel Martinez ainda se recuperou da queda chegando em quarto.

Resumo da Etapa 4 – Tour Colombia

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.