Subida de Oropa, teremos recorde?

Oropa é um santuário a virgem negra na cidade de Biella no Piemonte, o Giro já terminou na cidade por sete vezes sendo cinco vezes no topo da montanha que leva ao santuário, hoje será a sexta chegada a Oropa. São 7,5km com 7.67% de inclinação e uma ascensão de 575m. Uma das grandes disputas da história do ciclismo foi a batalha entre Piotr Ugrumov e Miguel Indurain, uma disputa que levou Indurain ao sofrimento extremo reduzindo em 40″ a diferença para o espanhol, mas como a última etapa era plana o letão não teve tempo para diminuir a vantagem com Induraín vencendo seu segundo Giro d’Italia, Ugrumov escalou em 19’45”.

Em 1999 foi a vez de outro monstro sagrado do ciclismo estabelecer sua marca, Marco Pantani subiu como nunca, venceu a etapa no fatídico Giro que em Madonna di Campagnolo seria desclassificado pelo uso de EPO, fato que o devastou e até hoje há uma aura de polêmica envolvendo até a máfia na adulteração de seu exame. Pantani subiu em 18’33”, recorde absoluto e sua última vitória em etapa do Giro.

Em 2007 uma cronoescalada foi programada para a etapa de Oropa saindo de Biella, Leonardo Piepoli cravou 19’52” na subida mas ficou 1″ atrás de Bruseghin na etapa, o giro daquele ano foi vencido por Danilo di Luca, em 2014 foi a vez do pequeno colombiano Nairo Quintana atacar seu conterrâneo Rigoberto Uran na subida e descontar preciosos segundos na disputa pela maglia rosa cravando 20’13”, naquele momento Uran tinha quase 2 minutos de vantagem sobre Quintana, em Oropa começou a virada que culminou com Quintana ganhando o Giro com 2’58” sobre o compatriota.

No Strava o Kom é de Wilco Kelderman com 25’56” no Giro de 2014.

https://www.strava.com/segments/5139654

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *