UCI suspende quatro por doping na Operação Aderlass

A UCI confirmou a suspensão de quatro ciclistas envolvidos na Operação Aderlass movida pela polícia austríaca. O escândalo de doping sanguíneo analisa casos desde 2012 com a participação do médico alemão Mark Schmidt em cinco modalidades esportivas.

Dois ciclistas em atividade, Kristijan Koren da Bahrain Merida e Kristijan Durasek da UAE Emirates foram suspensos por uso de métodos ilegais de aumento de performance. Além deles foram suspensos Alessandro Petacchi que se aposentou em 2015 e Borut Bozic, que era até o momento diretor esportivo da Bahrain Merida. A Operação Aderlass confirmou que 21 atletas de 5 diferentes esportes e oito diferentes países estão sobre investigação. O esloveno Koren de 32 disputava o Giro 2019 e estava na 47ª posição, 3:58 atrás do líder, foi retirado da prova. O croata Durasek de 31 anos disputava o Tour da Califórnia com 8:43 de atraso para o líder e também foi retirado da prova.

Além desses casos, esta semana a UAE Emirates surpreendeu o ciclismo ao suspender o colombiano Juan Sebastián Molano por resultados fisiológicos anormais. Molano disputava o Giro 2019 e foi suspenso pela equipe antes da largada da quarta etapa. O ciclista estava em sua primeira temporada na equipe UAE após quatro temporadas na colombiana Manzana Postobon. Vale lembrar que antes de se tornar UAE Emirates a equipe chamava-se Lampre, pela qual Petacchi se aposentou.

Operação Aderlass começou com esquiador pego em flagrante

Tudo começou no começo do ano quando seis esquiadores foram presos na Áustria, o vídeo do esquiador se auto-dopando chocou o mundo. Relembre:

Esquiador preso em flagrante em auto-transfusão! Seis atletas e médico foram presos na Áustria

Na sequência o ciclista Stefan Denifl confessou.Em 04 de março mais um confesso, Georg Preidlier procurou as autoridades austríacas e confessou ter retirado sangue para auto-transfusão e não ter realizado o procedimento. Denifl e Preidlier confessaram sem estar em competição, bem diferente dos demais envolvidos.

Mark Schmidt, duas décadas no Doping.

Todos os esportistas envolvidos tem um ponto em comum, o médico alemão Mark Schmidt. O alemão trabalhou em equipes como a Milram e Gerolsteiner. Tendo sido acusado pelo ciclista Bernard Khol em 2008 de prescrever a auto-transfusão do sangue diluído em solução salina. Khol pego no anti-doping durante o Tour de France de 2008 foi suspenso por dois anos, enquanto o médico não sofreu sanção alguma. Onze anos depois e novamente Mark Schmidt esta no epicentro do doping. Sairá novamente sem punição? Alguém realmente acredita que apenas os esportistas estão envolvidos nisso?

O promotor Kai Graeber contou ao jornal alemão Bild que o médico lucrava entre 5.000 e 15.000 euros conforme o pacote de doping escolhido.

Alessandro Petacchi

Alessandro Petacchi| Foto: JOSE LUIS ROCA/AFP/Getty Images)

Alessandro Petacchi é o ciclista de maior sucesso e destaque entre os suspensos. Apesar de aposentado desde o final do Giro de 2015. Petacchi de 45 anos tem no currículo 48 vitórias em etapas de grandes voltas sendo um dos maiores vencedores de etapas do Giro com 22. Petacchi correu pela Fassa Bartolo, Milram, Lampre e Omega Pharma Quick Step. Petacchi teve um caso adverso de salbutamol e foi perdoado em 2007 pela confederação italiana. Em 2008 foi suspenso por uma temporada após a agência mundial anti-doping (WADA) recorrer da absolvição. A investigação recai sobre o período de 2012 a 2013 onde Petacchi teve apenas três vitórias no Tour de Bayern.

Borut Bozic

Borut Bozic | Foto divulgação Team Bahrain Merida

O esloveno Borut Bozic, correu especialmente pela Vacansoleil, Astana, Cofidis e aposentou-se após duas temporadas na Bahrain. Seus melhores resultados foram a classificação geral da Volta a Valônia e uma vitória em etapa na Vuelta. A equipe Bahrain suspendeu o diretor esportivo e ressaltou que o caso investigado remete ao período em que o ciclista corria pela Astana.

 

Kristijan Koren

bur

O esloveno Kristijan Koren, correu oito temporadas pela Cannondale antes de se transferir para a Bahrain. Gregário, nunca teve grandes destaques. A equipe Bahrain Merida confirmou a suspensão do ciclista com sua política de tolerância zero de ciclismo. A equipe ressaltou que o caso investigado aconteceu quando o ciclista corria pela Liquigas Cannondale entre 2012 e 2015.

Kristijan Durasek

Durasek| Foto: D.R.

O croata Kristijan Durasek, correu quatro temporadas pela Lampre antes dela virar UAE e manteve-se na equipe. A equipe declarou esperar que Durasek possa provar que não esta envolvido no escândalo. Caso prove-se ao contrário seu contrato será encerrado imediatamente.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.