As Monumentos do Ciclismo

Muitas vezes durante as transmissões e debates sobre ciclismo, são comentadas as provas Monumentos do Ciclismo. Conheça um pouco mais sobre as cinco provas de um dia mais duras do ciclismo profissional.

Monumentos do Ciclismo

Cinco provas de prestígio antigas, longas e que representam juntas a essência do ciclismo, dai o termo Monumento, afinal são provas monumentais! São provas disputadas em apenas um dia, as chamadas clássicas do ciclismo. Mas para ser uma prova monumental ela precisa ter uma longa duração, assim todas as monumentos tem distância superior a 250km. Cada uma dessas provas possui uma história, lendas e acontecimentos únicos e por serem imperdíveis são as monumentos do ciclismo!

Milano Sanremo

Milano Sanremo ou Milão Sanremo é chamada de La Primavera por marcar o início da primavera no hemisfério norte. Disputada sempre no primeiro sábado de primavera com quase 300km, foi disputada pela primeira vez em 1907. É a monumento dos sprinters, onde a chegada coletiva é maioria. Porém os fortes ciclistas clássicos buscam ataques nas últimas subidas como a Cipressa para chegar solo no Poggio di Sanremo. Maior vencedor Eddy Merckx 7x. Tradicionalmente a mais longa prova da temporada.

Disputada entre Milão na Lombardia e Sanremo na Riviera Italiana, o maior vencedor é Eddy Merckx com sete vitórias. O vencedor em 2020 foi Wout Van Aert.

Ronde van Vlaanderen

Ronde van Vlaanderen ou a Volta de Flandres – Realizada na região dos Flandres na Bélgica. Disputada com cerca de 270km, foi disputada pela primeira vez em 1913. Mais nova das monumentos, o passeio pelos Flandres belgas tem curtas e duras subidas intercaladas com trechos de paralelepípedos. Os puncheurs (ciclistas de pegada forte e alta resistência) são os favoritos. Prova com empate entre os maiores vencedores sete ciclistas tem 3 vitórias cada, entre eles Tom Boonen e Fabian Cancellara. O vencedor em 2020 foi o holandês Mathieu Van der Poel.

Paris Roubaix

Paris Roubaix – A clássica dos paralelepípedos, o Inferno do Norte com cerca de 260km, foi disputada pela primeira vez em 1896. Paralelepípedos, lama e alta velocidade dão o teor a essa prova. Os ciclistas usam relações pesadas para manter o alto e intenso ritmo da prova mais vista depois do Tour de France. Maiores vencedores Roger De Vlaeminck e Tom Boonen com 4 vitórias cada. É a única prova monumento do ciclismo já vencida com um patrocínio brasileiro. Leia mais sobre a histórica vitória da Caloi na Paris Roubaix. Em 2020 a Paris Roubiax não foi realizada devido a pandemia do coronavírus, o último vencedor foi Philippe Gilbert em 2019.

25 anos da vitória da Caloi na Paris Roubaix

Liège-Bastogne-Liège

Liège-Bastrogne-Liège em português Lieja Bastogne Lieja e chamada por La Doyenne (A decana, a mais antiga). Mais antiga das monumentos, disputada desde 1892, é a clássica das subidas duras nas serras Ardenas. Com cerca de  260km, é a clássica que permite destaque para ciclistas que também disputam a classificação geral de grandes voltas. Maior vencedor Eddy Merckx com 5 vitórias. Em seu ano de despedida, Alejandro Valverde pode igualar o recorde de Merckx. O vencedor de 2020 foi Primoz Roglic, na chegada onde Alaphilippe comemorou antes da hora, perdendo a prova.

Giro da Lombardia

Il Lombardia – Também chamada de Giro da Lombardia ou em português a Volta da Lombardia. Por ser a última prova antes do inverno europeu, é conhecida por Clássica das Folhas Mortas. Disputada desde 1892 com 247km de extensão é a prova que tradicionalmente fecha o calendário de ciclismo no outono europeu. Maior vencedor Fausto Coppi com 5 vitórias. A prova foi vencida em 2020 por Jakob Flugsang e foi marcada pelo sério acidente de Remco Evanepoel.

Fan Art com Posters das Provas Monumentos | Montagem - Internet
Fan Art com Posters das Provas Monumentos | Montagem – Internet

Maiores vencedores de monumentos

O maior ciclista de todos os tempos aparece mais uma vez na liderança do ranking de clássicas. Eddy Merckx venceu 19 monumentos sendo o único ciclista da história a vencer cada uma delas ao menos duas vezes. Contemporâneo de Merckx, Roger De Vlaeminck venceu 11 monumentos. Entre os ciclistas em atividade, o espanhol Alejandro Valverde possui quadtro vitórias e o belga Philippe Gilbert cinco. As quatro vitórias de Valverde foram na Liège-Bastogne-Liège enquanto Gilbert venceu Roubaix, Flandres, Liège Bastogne Liège e duas Lombardia. Vincenzo Nibali possui três vitórias, duas na Lombardia e uma Milão Sanremo.

Eddy Merckx com a camisa de campeão mundial na vitória da Milão Sanremo em 1972 | Foto @Belga

Apenas três ciclistas na história venceram as cinco monumentos, Eddy Merckx, Rik Van Looy e Roger De Vlaeminck. Merckx claro é conhecido por ser o maior de todos os ciclistas, venceu a Milano Sanremo sete vezes, já Rik Van Looy venceu a Paris Roubaix três vezes, enquanto De Vlaeminck venceu o Inferno do norte quatro vezes, vindo a ser conhecido por Monsieur Roubaix, que significa Senhor Roubaix.

Um dos ciclistas que busca transformar esse triunvirato em tetravirato é Philippe Gilbert. Ao Belga falta a vitória na Milão Sanremo.

 

9 thoughts on “As Monumentos do Ciclismo

  1. Matéria concisa e bem escrita. Traz o relato das MONUMENTAIS do ciclismo. ParabénsZAÇO!!! Quem sabe um dia destes eu chego p/ assistir, Paris – Roubaix, vendo de muito perto os PAVÉS (paralelepípedos), na minha opinião, o mais bonito troféu. Grande abraço, Luiz Papillon.
    SimbOOOOOra!!!

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Milano Sanremo 2021

Neste sábado acontece a 112ª Milano Sanremo! A clássica da Primavera que parte da Lombardia até a Riviera Italiana começa as 05:30h de sábado. Com quase 300km de distância, a prova deve terminar por volta das 12:30 com cerca de sete horas de disputa. Milano Sanremo a Clássica da Primavera […]
Reflexo do troféu da 112ª Milano Sanremo | Foto Divulgação RCS

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: