Jakob Flugsang vence o Giro da Lombardia

Luiz Papillon

Vitória de Jakob Flugsang no Giro da Lombardia 2020, a prova ficou marcada pela assustadora queda de Remco Evenepoel na descida após o Muro di Sormano. Em segundo ficou George Bennett da Jumbo Visma e em terceiro Aleksander Vlasov também da Astana . O trio escapou na subida do Muro di Sormano e consolidou a escapada na subida final de San Fermo della Battaglia.

114º Giro da Lombardia – Bergamo a como – 231km

Disputada normalmente no outono marcando o fim da temporada europeia de ciclismo, neste ano de 2020 o Giro da Lombardia foi adiantado em função do atraso no Giro d’Itália. Assim temos a monumento de outono em pleno verão europeu.

Foram 231km com início em Bergamo e chegada em Como. Além do aspecto desportivo a beleza dessa monumento é única, o trajeto do Giro da Lombardia passa por cenários pitorescos como a famosa subida de Ghisallo onde esta a capela dos ciclistas a Madonna del Ghisallo. A clássica dos escaladores é disputada consecutivamente desde 1905 com exceção de dois anos devido a 2ª Guerra Mundial. Fausto Coppi venceu cinco vezes e é o recordista absoluto. Entre os ciclistas em atividade, Vincenzo Nibali tem duas vitórias e é um dos favoritos.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Agora sem dúvida nesta edição 2020 os olhos são todos para Remco Evenepoel, o jovem prodígio belga venceu cinco voltas de  uma semana na temporada, sendo o Tour da Polônia a maior delas. Além dele as casas de aposta tinham como favoritos Jakob Flugsang, George Bennett, Bauke Mollema, Diego Ulissi e Mathieu Van der Poel.

Giro da Lombardia 231km

A longa distância disfarça a altimetria, é uma prova muito dura que cobra seu preço das pernas dos ciclistas. As equipes não tem refresco pois precisam o tempo todo controlar ataques e não podem permitir grande folga para a fuga. O primeiro grande desafio começa na marca de 70km par ao final onde os ciclistas já com 170km nas pernas iniciam a subida da Madonna del Ghisallo, 8,25km com uma inclinação média de 6,2% e máxima de 14%. Só não é pior por ter um respiro no meio.

Após uma pequena descida com o lago Como de paisagem os ciclistas sobem o Muro di Sormano, uma subida dividida em duas partes, a primeira com 5.2km e 6.6% de inclinação e então o colosso de 2km com inclinação média de 15.8% e máxima de 27%. É uma parede duríssima para ciclistas com quase 200km nas pernas e com 40km ainda por percorrer. O último desafio é o Civiglio, uma subida de 4.2km com 9,7% de inclinação média e que por estar numa distância razoável do fim pode ser palco de um ataque em especial de ciclistas que não sejam bons de sprint ou sintam não poder bater no sprint seus adversários diretos.

Confira o perfil altimétrico dessas subidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

A fuga do dia se estabeleceu após alguns ataques liderados por Joey Rosskopf da CCC. O grupo logo conseguiu uma vantagem na ordem de dois minutos de vantagem:

  • Joey Rosskopf (CCC Team)
  • Davide Gaburro (Androni Giocattoli-Sidermec)
  • James Piccoli (Israel Start-Up Nation)
  • Petr Vakoc (Alpecin-Fenix)
  • Florian Stork (Team Sunweb)
  • Alexander Riabushenko (UAE Team Emirates)
  • Andrea Pasqualon (Circus-Wanty Gobert)
  • Daniel Savini (Bardiani-CSF-Faizanè)
  • Denis Nekrasov (Gazprom-RusVelo)
  • Emmanuel Morin (Cofidis)
  • Marco Frapporti (Vini Zabù – KTM)

O grupo cruzou a marca de 100km para o final com a vantagem estável para o pelote.

Madonna del Ghiasallo

O pelote chegou bem mais próximo da fuga na base da subida e durante a subida foi fim de jogo para os escapados. Na marca de 60km para o final o grupo começou a descer Ghiasallo em direção ao Muro di Sormano.

Na subida que tem trechos com absurdos 20% de inclinação Van der Poel sobrou. Na ponta Bennett da Jumbo foi escapando com Fuglsang, Vlasov, Evnepoel e o trio da Trek: Ciccone, Nibali e Mollema.

Remco Evenepoel cai de uma ponte

O jovem ciclista belga sofreu uma queda assustadora na descida após o Muro di Sormano. Remco bateu em uma contenção e despencou de uma altura aproximada de cinco metros. Após o resgate, o ciclista foi removido de ambulância com muitas dores na perna direita. O desenrolar do acidente você poda companhar no link:

Remco Evenepoel sofre queda assustadora na Lombardia

San Fermo della Battaglia

A decisão ficou para a última subida, San Fermo della Battaglia. A dupla da Astana, Jakob Flugsang e Aleksandr Vlasov chegaram a subida com George Bennett da Jumbo Visma. O trio mantinha 18 segundos de vantagem para Bauke Mollema e Giulio Ciccone. Mollema ainda errou em uma curva e teve dificuldades com seu cambio traseiro perdendo alguns segundos. Atrás 1:45 estava o pelote reduzido com Vincenzo Nibali.

Durante a subida, Vlasov sentia dificuldades e teve que se esforçar para se recuperar. Flugsang seguia muito forte duelando com Bennett. Bennett tentou, uma, duas, três vezes mas não conseguia deixar Flugsang para trás. Então Foi a vez do dinamarquês dar um ataque forte e abrir 20 segundos de vantagem a 5km do final, sem conseguir acompanhar, Bennett seguiu mantendo segura a vantagem para Vlasov.

Ao fim muita festa na Astana para a vitória de Jakub Flugsang e o terceiro lugar de Aleksander Vlasov. George Bennet manteve o segundo lugar, mas a emoção não parou por ai.

SUV invade prova e derruba campeão alemão

SUV invade trajeto da Lombardia e derruba campeão alemão | Captura TV

Ao final uma motorista com um SUV resolveu mover o carro de um lado para o outro da estrada. E bem no momento em que a prova ainda estava em andamento. O campeão alemão Maxmilian Schachmann não conseguiu desviar e bateu atrás do SUV. Uma situação que vivemos diariamente nas ruas, acontecendo de forma irresponsável em uma prova do mais alto nível do ciclismo profissional. Schachmann ainda conseguiu completar a prova em sétimo.

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Sepp Kuss vence e Daniel Martinez é campeão do Dauphine

Em uma etapa espetacular, Sepp Kuss da Jumbo Visma venceu e Daniel Felipe Martinez da EF Education First foi campeão do Critérium du Dauphiné 2020. Sem Primoz Roglic que não chegou a largar, a luta pelo campeonato ficou aberta com pouca diferença entre os primeiros colocados. Daniel Felipe Martínez foi […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: