Milão Sanremo, a primeira monumento de 2017

Amanhã acontece a 108ª Milão Sanremo, com 291km entre Milão e Sanremo a maior corrida de um dia do ano. O trajeto fabuloso passa por Tortona e Campo de Ligure até atingir o Mar da Ligúria, no norte da Italia e segue margeando o litoral da Riviera italiana passando por Arenzano, Laigueglia até fechar em Poggio di Sanremo. A ESPN anuncia transmissão para o Brasil via Watch.

A La Classicissima acontece desde 1907, uma das cinco clássicas conhecidas por monumentos, as demais são  a Tour de Flandres, Paris-Roubaix, Liège Bastogne Liège e o Giro di Lombardia, com um perfil basicamente plano a única subida significativa é o Passo del Turchino, uma subida contínua de 26km com gradiente médio de 4% com alguns trechos curtos até 10% nos últimos dois quilômetros. O que pode fazer diferença é o tempo, o final de inverno e começo de primavera mantém expectativa de vento, chuva e até neve como na edição de 2013.

Entre as 25 equipes muitos vencedores dos últimos anos, entre eles Filippo Pozzato vencedor de 2006 que tem o brasileiro Rafael Andriato como principal embalador, Cavendish (2009), Simon Gerrans (2012), Kristoff (2013), Degenkolb (2015) e Démare (2016) são os demais vencedores presentes, historicamente Eddy Merckx venceu sete vezes a clássica, Girardengo seis vezes, enquanto Gino Bartali e Erik Zabel venceram quatro cada. Nos últimos 15 anos o único piloto a conquistar mais de uma vez a prova foi Oscar Freire.

Entre os favoritos vamos destacar obviamente o bicampeão mundial Peter Sagan, o medalhista olímpico Greg Avermaet mas também Tom Boonen, Dumoulin e os sprinters Arnaud Dèmare que vem de uma excelente Paris-Nice, Kristoff, Elia Viviani, Degenkolb, Sonny Colbrelli e Caleb Ewan que vem voando nessa temporada.

 

Confira como foi a prova em 2016:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *