Quem é o dono da rua?

Luiz Papillon

Com certeza você já viu um desenho, uma foto, uma animação ou notícia com a montagem da imagem abaixo. Ela foi originalmente criada em 1978 e hoje a conversa é sobre esse exercício de futurologia.

Quem é o dono da Rua?

As imagens que giraram o mundo desde os anos 70 foram captadas na cidade de Amersfoot, na província holandesa de Ultrecht. Jan Whittenberg, criador da ONG Fietsersbond (a associação holandesa de ciclistas) foi o idealizador e diretor de cena.

“Eu tive que dirigir tudo. Eu acho que perseguimos carros (que invadiram o set de filmagem) durante toda a tarde. Apenas uma rua vazia foi utilizada. Em cada lado da rua haviam dois policiais para parar o tráfego. Todos vizinhos haviam saído e estavam olhando. Mas sem dúvida a rua precisava estar vazia. Eu tinha que pedir para as pessoas recuarem de tempo em tempo. Isso não funcionou muito bem, você vê pessoas nas varandas e na foto com os pedestres, há muitos deles. Não dava para parar.” Jan Whittenberg, diretor de cena.

 

Poster Quem é dono do Espaço?| Foto Arne Haytsma
Poster Quem é dono do Espaço?| Foto Arne Haytsma

Nesse meio tempo, quarenta carros esperavam nas ruas laterais para sua parte no pôster: o uso do espaço pelo carro. Como poucos jovens possuíam carros, a dificuldade em conseguir os carros acabou gerando uma dificuldade.

“É por isso que você vê tantos carros de iniciantes como Renault 4 e Citroen 2CV. Mas também há na foto um Pike (Citroen DS) que pertencia meu vizinho.” completou Whittenberg

Um exercício de Futurologia

Embora os nomes de Daan van Tol e Arne Haytsma estejam nas fotos como fotógrafos, Haytsma enfatiza que Wittenberg – fundador e primeiro presidente da federação holandesa de ciclismo (ENWB) – foi quem fomentou o trabalho. Financiado pela companhia Ferroviária Holandesa a NS, o Grupo de Trabalho 2000 iniciou um debate social sobre transporte e organização do espaço. Concluindo que o tráfico lento, aquele de pedestres e ciclistas deveria ser incentivado.

“Para mim, o planejamento urbano é uma profissão em que, através da analise e design, busca-se soluções para os desejos e opiniões contraditórias que as pessoas tem acerca do uso do espaço.” Enfatiza Wittenberg.

Jan Wittenberg em sua bicicleta em rua sem calçamento.
Jam Wittenberg | Foto Corné Sparidaens

A pergunta que Wittenberg queria fazer era realmente simples: A quem o espaço pertence? E as fotos que foram tiradas representam a questão. O pôster diz mais que mil palavras de texto, concluiu Wittenberg.

Em sua formatura no ano de 1980, Wittenberg sua cartilha foi publicada com apoio das Ferrovias Holandesas: O caminho para a estação, ideias de deisgn para rotas de tráfico lento.

A federação holandesa de ciclismo (ENFB)

No princípio a federação holandesa de ciclismo ocupou uma mesa em frente a sala do Werkgrouep 2000 em Armerfoort. Depois passou a ter como endereço o banheiro da entidade mantida pela companhia NS (Ferrovias Holandesas). Essa proximidade entre a federação e os ativistas permitiu que se trabalhasse na profissionalização de procedimentos. E na tentativa de democratizar as decisões e escolhas, eles descobriram como os problemas de planejamento urbano eram abstratos para muitas pessoas. Jan Ploeger era um estudante de engenharia civil, ativista e voluntário junto a federação. Foi com ele que a procura pela ideia que criou o pôster se iniciou.

“Naquela época estavam aqui muitas pessoas criativas, e tínhamos a ideia de reduzir o tamanho dos carros. Era muito claro: O carro tomava muito espaço!”

Jan Ploeger em sua bicicleta em uma ciclovia ladeada por calçamento e estacionamento de carros.
Jan Ploeger, voluntário na Federação de Ciclismo

Ploeger que deixou o voluntariado para concluir sua graduação agora conduz uma pesquisa de doutorado na Universidade de Tecnologia de Eindhoven sobre a história da combinação da bicicleta e do trem como alternativa ao automóvel. O que se encaixa perfeitamente com o início do Fietsersbond. Para os ativistas, não se tratava apenas da bicicleta e o transporte público foi igualmente importante para segurar o automóvel e recuperar o espaço.

Copiado Mundialmente

Fotos semelhantes foram tiradas em vários países com base na ideia de Wittenberg para mostrar que o carro requer muito espaço. E isso torna o pôster talvez a publicação mais influente do Fietsersbond de todos os tempos. Atualmente a rua Hendrik van Vieandentraat está assim:

Rua Hendrik van Viandenstraat nos dias atuais
Rua Hendrik van Viandenstraat nos dias atuais | Foto Corné Sparidaens

Publicado originalmente no Fietesersbond, tradução e adaptação por Luiz Papillon para o Pelote Ciclismo.

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Esse Edouard Merckx é um corredor de futuro!

Aos dezessete anos, o jovem Eddy Merckx passou a ser notícia de jornais belgas destacando a possibilidade de tornar-se um vencedor. Esse raro recorte do maior ciclista de todos os tempos antes da fama mundial é o papo do dia no Pelote Ciclismo: Edouard Merckx é um corredor de Futuro […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: