Wout van Aert venceu a Milão Sanremo

Luiz Papillon

Em um final emocionante ao final de 305km de prova, Wout van Aert venceu a Milão Sanremo 2020. O belga da Jumbo Visma seguiu Julian Alaphilippe em um ataque a 5km do final e seguiram juntos até o final quando Wout lançou o sprin e venceu a prova por centímetros! No sprint do pelote atrás o australiano Michael Matthews foi o terceiro colocado pela Sunweb seguido de Peter Sagan.

Wout van Aert vence Milão Sanremo por uma roda | Captura TV

Milão Sanremo 2020

Neste 2020 maluco, a 111ª Milão Sanremo, clássica de primavera na Italia foi realizada em pleno verão. A mais longa prova do ciclismo profissional em um dia foi ainda mais longa com 305km. Sendo um total de 315km se considerar a parte neutra para deixar o centro de Milão.

Uma verdadeira constelação de favoritos com destaque para:

  • Wout Van Aert (Jumbo Visma)
  • Mathieu Van der Poel (Alpecin Fenix)
  • Julian Alaphilippe (Deceuninck Quick Step)
  • Peter Sagan (Bora)
  • Arnaud Demére (Grupama FDJ)
  • Caleb Ewan (Lotto Soudal)

O motivo da mudança na extensão se deu especialmente pelo pedido de prefeitos de algumas cidades da Liguria que não queriam a prova passando nas cidades e aglomerando pessoas em função do coronavírus. O pelote largou com 29º de temperatura e bastante umidade. A fuga do dia partiu cedo, ainda dentro dos 10km iniciais:

  • Alessandro Tonelli (Bardiani CSF Faizane)
  • Manuele Boaro (Astana)
  • Mattia Bais (Androni Giocattoli-Sidermec)
  • Damiano Cima (Gazprom-Rusvelo)
  • Marco Frapporti (Vini Zabu-KTM)
  • Hector Carretero (Movistar)

Ao redor dos 90km para o final uma queda no pelote tirou um dos destaque da prova. O italiano Matteo Trentin, segundo nome da CCC abandonou com dores no ombro. Sem muitas subidas a prova foi um teste de resistência. Mark Cavendish chegou a comentar antes da largada que “cada pedalada era um gasto” e que o importante era manter-se bem alimentado.

O pelote foi acelerar mesmo dentro dos 50km finais, onde a vantagem da fuga foi reduzida radicalmente. Na marca de 35km para o final a fuga foi neutralizada com Manuele Boaro da Astana ser o último a ser neturalizado.

Cipressa e Poggio di Sanremo

O segundo favorito a ter problemas foi Julian Alaphilippe, com um furo de pneu justamente no momento em que o pelote acelerava na entrada da cidade de Imperia. Após um esforço da equipe Deceuninck Quick Step, o francês conseguiu reconectar ao pelote.

Na tradicional subida da Cipressa, Jacopo Mosca (Trek) e Loic Vliegen (Circus) atacaram. De perto o pelote acompanhava e pela Trek o segundo nome atacou, com Giulio Ciccone. O calor já cobrava seu preço e alguns velocistas sobraram como o colombiano Fernando Gaviria e o australiano Caleb Ewan. Um pouco antes do topo da Cipressa, os escapados foram neutralizados. Na descida, Daniel Oss da Bora atacou, o companheiro e tradicional embalador de Peter Sagan arrancou colocando 10 segundos de vantagem sobre o pelote. Esse ataque fez com que a Deceuninck Quick Step e a Groupama fossem para a ponta do pelote para acelerar na caça do italiano.

Com 285km de prova restavam 20km para chegada em Sanremo. A única subida no caminho seria a Poggio di Sanremo:

Oss foi neutralizado na entrada do Poggio e começaram os ataques. Primeiro Gianni Moscon pela Ineos, foi seguido por Ciccone da Trek e o pelote acelerando atrás. Isso fez com que os velocistas sofressem mais uma vez no fundo do pelote. O Belga Aimé De Gendt atacou e ficou na ponta junto com Ciccone. Atrás no pelote Alaphilippe atacou, foi seguido por Wout Van Aert e o francês deu mais um ataque para deixar o holandês para trás, ambos passaram a liderança.

Final Milão Sanremo

Na descida, restando 5km para chegada, Alaphilippe perdeu uma curva e Wout van Aert reconectou. Seria uma disputa da dupla contra o pelote ensandecido atrás. Alaphilippe não revezou no final e ficou na marcação, Wout van Aert foi na ponta e lançou o sprint com muita potência e venceu a monumento! Alaphilippe foi o segundo.

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Remco ataca a 50km do fim e vence Tour da Polônia

Ninguém segura Remco Evenepoel! A etapa 4 do Tour da Polônia tinha seis subidas de categoria 1. E restando 50km do final o belga da Deceuninck Quick Step atacou para seguir solo até o final. Em segundo chegou Jakob Flugsang pela Astana seguido de Simon Yates pela Mitchelton Scott. A […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: