Centenária Mavic colocada em custódia judicial

Antes de mais nada é preciso entender que a Mavic não faliu. A icônica marca francesa simplesmente não sabe quem é sua proprietária! Como as informações disponibilizadas publicamente divergem das registradas em cartório, o sindicato dos funcionários apelou a justiça.

A centenária fabricante de rodas de bicicleta Mavic foi colocada em custódia judicial pelo Tribunal Comercial de Annecy. Fundada em 1889, a Mavic emprega cerca de 250 pessoas e é conhecida pelo serviço de suporte neutro que presta as corridas da A.S.O. como o Tour de France. Além de rodas para diversos tipos de bicicleta a empresa fabrica também equipamentos como sapatilhas e vestuário.

Mavic e o histórico de aquisições corporativas

Para compreender os motivos da custódia judicial da Mavic, precisamos retornar no tempo. A Mavic era controlada pela finlandesa Amer Sports (detentora de marcas como a Wilson, Suunto entre outras). Em 2016 a finlandesa Amer comprou a também fabricante de rodas Enve. Já em 2018 observou uma queda de 12% nas vendas combinadas da Enve e da Mavic e circulou na mídia que poderia se desfazer de uma ou ambas marcas de ciclismo.

Então em dezembro de 2018, a Amer Sports por sua vez foi comprada por um consórcio chinês, liderado pela gigante asiática Anta Sports por 4.6 bilhões de euros. Em março de 2019 finalmente a Amer Sports anunciou a venda da Mavic para o grupo californiano Regente LP, conhecido na indústria do ciclismo por deter marcas como Diamondback e Raleigh.

Em julho de 2019 a Amer anunciou a conclusão dessa venda para a Regente LP. Ocorre que o sindicato dos funcionários da Mavic ficou sabendo posteriormente, que o novo comprador não era a Regent LP, mas sim uma companhia chamada M-Sports com sede no estado americano do Delawere.

Atualmente a Regent LP mantém a divulgação da Mavic como parte de seu portfólio de marcas. Como o leitor pode notar, algo de errado não está certo. E foi isso que o sindicato questionou. Sabe-se que o representante indicado pela Regent LP na França é também um dos controladores da M-Sports no Delawere, nada além disso.

Troca de donos da Mavic motivou sindicato

Em setembro de 2019 o sindicato notou a falta de comprometimento dos alegados novos proprietários e dispararam um alerta econômico. Em dezembro de 2019 foi comunicado o Presidente da Corte Comercial de Annecy. A promotoria pública então requisitou que a Mavic fosse colocada sobre proteção da Corte Comercial, e que o verdadeiro dono fosse encontrado.

“Fazem poucos dias soubemos que, ao contrário do que foi noticiado publicamente, a Amer Sports não vendeu nossa companhia para a Regent LP, mas sim para uma companhia com sede no estado americano do Delawere chamada M-Sports. Nós levantamos questionamentos, sob quais condições a Amer Sports vendeu a Mavic? E quem está por trás da companhia M-Sports? Por quê eles adquiriram a Mavic?” Declarou o representante sindicato de funcionários da Mavic, Gérard Meuner.

Diferentemente de uma intervenção judicial ou falência, a custódia na França significa que alguém é designado para tomar controle legal da companhia. No caso da Mavic foi designada a Salomon e três administradores foram nomeados. A Salomon é controlada pela Amer Sports (última dona da Mavic pela ótica do tribunal) e divide o mesmo endereço em Annecy. Os sindicatos franceses estão pressionando a Salomon a prestar contas pela Mavic.

Resumo da ópera

O sindicato dos funcionários da Mavic não sabe qual empresa é sua dona. A Regente LP anuncia publicamente que é a proprietária. O Tribunal Comercial de Annecy diz que a Regent não é a proprietária. Como era subsidiária da Amer Sports até um ano atrás, o caminho de sindicatos e promotores foi buscar em outra empresa também subsidiária da Amer Sports, porém com sede na França a responsabilização pelo esclarecimento. Por isso a Salomon foi designada responsável pela prestação de contas da Mavic pelos próximos seis meses e três administradores nomeados para acompanhar a situação.

E não, a Mavic não vai falir, apenas está trocando de donos e o sindicato buscando esclarecimentos.

One thought on “Centenária Mavic colocada em custódia judicial

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Di Gregorio pega 4 anos por "super epo"

Em quarentena mas suspenso. Após dois anos o francês Rémy Di Gregorio foi condenado a 4 anos de suspensão. Pego no doping na etapa 5 da Paris Nice, noticiamos a época a performance “surpreendente” do ciclista. Di Gregorio da Delko Marseille pego no Doping Agora veio a condenação, suspensão por […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: