Stybar da Deceuninck vence a Omloop Het Nieuwsblad!

Luiz Papillon

Com um ataque a 3km do final Zednek Stybar da Deceuninck Quick Step venceu a prova que abre a temporada de clássicas na Europa. Atrás Greg van Avermaet da CCC ficou com o segundo lugar e Tim Wellens da Lotto Soudal foi o terceiro. Uma prova com ataques e os últimos 70km insanos teve de tudo. Até a prova feminina sendo retida por risco de alcançar a masculina.

 

Histórico

Um feliz ano novo belga a todo leitor! É amigo, começou a temporada de clássicas de primavera na Europa onde os holofotes se voltam especialmente para região dos Flandres onde em cinco semanas teremos a monumento Ronde van Vlaanderen ou Tour de Flanders.  A Omloop é a primeira das corridas com muitas colinas e setores de paralelepípedos e que abre a temporada belga. Grandes nomes de ciclistas clássicos na prova e muita disputa por 200km entre Merelbeke e Ninove.

A primeira edição foi realizada em 1945 pelo jornal Het Volk com o nome Ronde Het Volk em resposta ao jornal concorrente Het Nieuwsblad que organizava a Ronde. O Het Volk foi um jornal de visão mais esquerdista e rivalizava com o Niewsblad que teria colaborado com os nazistas durante a segunda guerra mundial. Assim a primeira rusga saiu na nomenclatura com a federação belga exigindo que a prova mais nova mudasse o nome de Ronde (Volta) para não confundir com a Ronde van Vlaanderen e assim surgiu a Omloop (Circuito). Em 2008 o Het Volk fundiu-se com o Het Niewsblad e a prova passou a chamar-se Omloop Het Nieuwsblad. Desde 2017 como prova do circuito mundial (World Tour) a prova é obrigatória para as equipes da primeira divisão do ciclismo mundial.

Omloop Het Nieuwsblad 2019

A prova com treze colinas e nove setores de paralelepípedos largou de Ghent com temperatura ao redor dos 7ºC com o pelote muito lento. Logo a fuga do dia atingiu a marca de dez minutos de vantagem para o grupo principal. A fuga teve:

  • Roy Jans – Corendon-Circus
  • Tom Wirtgen – Wallonie – Bruxelles
  • Alex Howes – EF
  • Tom Devriendt – Wanty-Groupe

Com velocidade reduzida, a prova masculina impactou na prova feminina. Nicole Hanselmann na fuga da prova feminina quase alcançou a traseira do pelote masculino com dois minutos de vantagem para o pelote feminino quando a organização travou a prova feminina para não ultrapassarem os homens.

Vexame, prova feminina neutralizada para não alcançar a masculina

A prova seguiu com o pelote gradualmente acelerando e diminuindo a vantagem da fuga. Mas não sem antes ser fraturado em diversos grupos. Na passagem pelo Valkenberg com 68km para o fim a situação de prova era:

Fuga (Jans, Wirtgen, Howes e Devriendt)

+1:40 Perseguição com Mads Pedersen, Boy van Poppel, Davide Ballerini, Sven Bystrom, Olivir Naesen, Stybar e mais 20 ciclistas.

+1:55 Pelote

Nos quilômetros seguintes a prova seguiu intensa com muitos ataques e pequenas quedas. Restando 37km para o final o grupo líder estava reduzido a 17 ciclistas com vantagem de apenas 15 segundos sobre o pelote. Na marca de 28km para o fim, Tiesj Benoot da Lotto caiu dividindo o grupo e a liderança passou a ter o seleto grupo de seis ciclistas liderados por Avermaet e Stybar. Um pouco adiante o grupo foi reduzido para cinco ciclistas e estava claro que seria muito difícil para a perseguição lidar com eles:

  • Greg Van Avermaet – CCC
  • Dylan Teuns – Bahrain
  • Tim Wellens – Lotto Soudal
  • Alexey Lusenko – Astana
  • Zednek Stybar – Deceuninck

Atrás a perseguição liderada pela Bora de Daniel Oss viu a fuga manter-se 30 segundos a frente e assim entraram nos 5km finais. E os ataques na fuga começaram exatamente na marca de 3km para o final, o primeiro foi Wellens mas foi Stybar que lançou o ataque mais duro motivando uma perseguição, virou guerra! E um após o outro tentando neutralizar o checo. Mas a negociação sobre quem se sacrificaria acabou dando o tempo que Stybar necessitava e quando o quarteto tentou reagir era tarde. A Omloop 2019 tinha dono, Zdenek Stybar venceu pela segunda vez a prova.

Chantal Blaak venceu prova Feminina

A prova feminina teve vitória da holandesa Chantal Blaak da Boels Dolmans escapada com 1’09” de vantagem sobre Marta Bastianelli que venceu o sprint do pelote. A prova com 123km foi muito intensa e teve a interrupção para evitar que alcançasse a prova masculina. Menor distância mas não menor dificuldade com 10 colinas e 5 setores de paralelepípedos. A prova foi retida em uma passagem de nível e a vantagem da escapada Nicole Hanselmann foi mantida. Na aproximação do final a liderança foi quebrando o pelote e Chantal Blaak lançou seu ataque vencedor, abriu vantagem e as remanescentes de sua equipe não colaboraram com a perseguição.

Chantal Blaak vencedora da Omloop Feminina

E o circuito europeu não para, amanhã temos a Kuurne Brixelles Kuurne ou KBC. Para saber mais sobre as clássicas de primavera confira nosso mini guia:

http://www.pelote.com.br/vai-comecar-temporada-de-classicas-do-ciclismo-inicia-neste-sabado-na-belgica/

 

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

KBK 2019 - O Bate volta em Bruxelas saindo de Kuurne

A segunda clássica da temporada belga acontece no dia seguinte a Omloop Het Nieuwsblad chega a sua edição 71. Realizada desde 1946 sempre com largada na pequena Kuurne uma cidade de apenas 12.000 habitantes nos Flandres ocidentais. Atualmente a prova não chega a Bruxelas tendo como seu ponto mais próximo […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: