Froome é investigado desde setembro pela UCI

Luiz Papillon

Nesta manhã o jornal britânico The Guardian expôs o processo de investigação movido pela CADF (Fundação Anti Doping no Ciclismo) pelo uso de Salbutamol acima de 1000ng/ml na urina de Christopher Froome em 07 de setembro deste ano ao final da 18ª Etapa da Vuelta, a etapa foi vencida por Armee Sanders pela Lotto Soudal e teve três montanhas, relembre:

http://www.pelote.com.br/armee-vence-pela-lotto-soudal-nibali-sobra-em-dia-de-vitoria-da-fuga/

 

Desde 20 de setembro Froome e Sky sabiam da investigação, conduzida de modo privado pela UCI, após a exposição pela mídia, a UCI publicou declaração confirmando não só a investigação mas que a amostra B também apresentou resultado divergente.

Como o uso da substância por si não é considerado doping, Froome não foi suspenso ainda, porém casos no passado como de Alessandro Petacchi flagrados com a mesma substância resultaram em suspensão e perda de resultados. O caso de Petacchi durante o Giro de 2007 lembra em muito o de Froome, pois o italiano foi inicialmente liberado pela federação italiana de ciclismo, mas o CAF (Corte de Arbitragem para o Esporte) apelou e suspendeu Petacchi por um ano com perda de resultados o que causou sua demissão da equipe Milram. Na época muitos acharam exagerada a suspensão e defenderam Petacchi

Salbutamol

O Salbutamol é indicado como terapia para o tratamento prolongado das doenças obstrutivas das vias aéreas, e no tratamento do broncoespasmo agudo. É administrado por via oral, ou por inalação, para alívio sintomático do broncoespasmo. Os efeitos cardiovasculares do Salbutamol são considerados de ocorrência pequena em relação às drogas similares, mas podem se apresentar com alterações eletrocardiográficas, na pressão sanguínea e frequência cardíaca.

A resposta de Froome e Sky

De modo imediato a Sky publicou uma declaração informando que Froome tem asma desde criança e usa o inalador (popular bombinha) de Salbutamol para prevenir e diminuir os sintomas causados pelo exercício e que a concentração de salbutamol na urina de Froome no dia 07 de setembro foi de 2.000 ng/ml (2.000 nanogramas), o dobro do limite permitido de 1.000 ng/ml. Também informou que os outros 20 testes de Froome não apresentaram amostra divergente. Por fim a equipe alega que há variações na forma em que o salbutamol é metabolizado e excretado pelo corpo as vezes pode resultar em concentrações elevadas na urina.

Froome por sua vez disse que sabia exatamente como as regras são e que usou a bombinha, tendo sido aconselhado pelo médico da equipe a aumentar a dosagem durante os últimos dias da Vuelta 2017.

Controvérsia na Sky

No passado recente várias alegações, os ganhos marginais passaram pelo uso de Kenacort por Bradley Wiggins, adesivos de testosterona, tramadol, predinesona, dois pilotos com resultados adversos no passaporte biológico. O caso do pacote de remédios que sumiu, a amnésia coletiva a respeito desse pacote, seu conteúdo e até do laptop que continha a descrição do pedido… O império pode estar de pé mas com a reputação mais manchada que nunca.

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Nibali pode ser declarado vencedor da Vuelta

Se o doping de Froome for confirmado, Vicenzo Nibali que foi segundo colocado na Vuelta em setembro de 2017 será considerado vencedor da prova. Na chegada em Madrid Froome levou 2’15” de vantagem sobre Nibali. Caso o britânico seja desclassificado o pódio da Vuelta passará a ter o italiano Vicenzo […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: