Cinco momentos em que o Tour de France foi mais que um esporte!

Luiz Papillon

Após 21 dias de competição o Tour de France chegou ontem a seu final. O Pelote separou cinco momentos em que o ciclismo foi mais que um esporte neste tour de 2018.

1 Geraint Thomas sem discurso pronto

Grande vencedor do Tour de France o galês Geraint Thomas subiu ao pódio sem discurso pronto. Agradeceu a equipe e tropeçou nas palavras para agradecer a todos, se esqueceu da mulher dos companheiros e sua humildade e sinceridade comprova porque é um dos mais queridos ciclistas no pelotão:

“Eu gostaria de dizer que estou grato pela equipe, tudo foi incrível por toda semana. Obviamente os ciclistas Luke Rowe, Egan Bernal, Castroviejo…e Froomy. Bem Froome se expressou com grande respeito para mim. Obviamente isso poderia ter ido para o lado inconveniente, poderia ter tensão, mas como um grande campeão Froome sempre tem uma visão de respeito, então muito obrigado. Quem mais esta na equipe? Wout, ah…Framberries Martinez Enriquez Pauls, esse é seu nome(risos)…e Gianni Moscon, somos seis e quem mais? (Dumoulin o ajuda) oh Kwiato! Obrigado amigo, eu estou muito cansado e apenas quero dizer que toda equipe foi fantástica, o pessoal de apoio.

Eu entrei para o ciclismo por causa desta corrida. Eu me lembro de correr da escola para casa e ver os finais (de etapas) do Tour de France e o sonho era tomar parte disso e isso se tornou realidade doze anos atrás lá em 2007 e agora estou aqui de camisa amarela e isso é insano, inacreditável é um sonho que se torna realidade. Todos meus respeitos a Tom (Dumoulin) e a todos meus adversários. Foi uma corrida fantástica. É um sonho, eu gostaria de agradecer ao púbico, vocês foram fantásticos em me apoiar. Oh minha esposa! Eu esqueci da minha esposa, obviamente muito obrigado a Sarah pois sem você eu obviamente não teria suportado passar pelos bons e maus momentos. E eu penso que isso é algo grande para todos lá em casa. Você sabe as crianças lá em Maindy Flayers (Clube de ciclismo onde Thomas começou a pedalar) você sabe, apenas sonhe grande e se as pessoas disserem que você não consegue… Acredite em você mesmo e se você trabalhar duro você terá altos e baixos mas continue acreditando e tudo é possível. No final o trabalho duro é recompensado. E novamente agradeço por todo apoio eu realmente agradeço vocês estiveram fantásticos, nós todos agradecemos.”

2 Peter Sagan e os fãs: Faço pelas crianças!

Sagan a cada etapa fica mais que qualquer outro ciclista dando fotos, tirando selfies e dando autógrafos, para a mesa redonda Vive le Vélo o eslovaco contou o motivo:

“Eu lembro de como era para mim quando eu era criança. Eu faço isso especialmente para as crianças. Quanto eu era jovem vim ao Tour para pedalar na competição de juniores. Depois pudemos ver o prólogo com caras como Cancellara, Armstrong, Ulrich… Depois esperei que Lance Armstrong dessa a entrevista, ele estava andando ao meu lado. Eu olhei para ele e… Não fiquei desapontado porque não queria um autógrafo, eu estava lá para vê-lo. Quanto as crianças me chamam para um autógrafo eu quero lhes dar algo e assim eu fico bem.”

Claramente Sagan se refere ao Tour de France  de 2005 vencido pelo texano que caiu em desgraça após confessar o doping em sua carreira. Peter Sagan por sua vez completou 100 dias vestindo a camisa verde de líder da classificação por pontos no Tour de France, vencida por ele em outras cinco vezes. Agora o vídeo do pai de Peter Sagan comemorando a vitória do filho de dentro da cabine de narração:

3 Philippe Gilbert saindo do precipício e completando a etapa

Durante a 16ª etapa do Tour, o belga Philippe Gilbert liderava a etapa na perigosa descida da Col de Portet d’Aspet aonde 23 anos atrás Fabio Casartelli da equipe Motorola Caloi perdeu a vida. Um erro na saída de uma curva e Gilbert rápido demais não conseguiu frear, bateu na proteção de pedra e decolou para cair na ravina cerca de 4m abaixo. Ajudado pelo piloto da moto de apoio e por um fotógrafo ele escalou devolta a estrada para rapidamente subir na bicicleta e ainda subir duas montanhas e concluir a etapa. Exames posteriores constataram a fratura na patela forçando o abandono. Comparações com a performance de Neymar e outros futebolistas circulou nas redes sociais,

4 Lawson Craddock correndo por uma causa

 

O texano Lawson Craddock da EF Drapac correu praticamente todo Tour de France com uma fratura na escápula. Ainda na primeira etapa do Tour Craddock caiu sofrendo a fratura da escápula e um corte sobre o supercílio. Ele pedalou 80km sangrando para concluir a etapa e exames posteriores indicaram a fratura não consolidada. Sentindo-se confiante mas certo de que sua chance de desempenhar um papel importante no âmbito esportivo havia ido por água abaixo, Craddock resolveu abraçar uma causa.  O velódromo de Alkek sofreu com a passagem do furacão Harvey em setembro de 2017 e sem verba para reconstrução esta fechado. Lawson então prometeu a cada etapa e doar 150 dólares para a reforma do velódromo, lançando também uma vaquinha online. Ao final do Tour Craddock arrecadou mais de 226.000 dólares (cerca de R$840.000) para o velódromo. Lawson foi o último ciclista na classificação geral do Tour de France e aquele que saiu com o maior respeito da prova.

“Quando você é um ciclista, está em seu sangue não desistir” Lawson Craddock

5. John Degenkolb de volta as vitórias em alto estilo

A mais memorável etapa do Tour de France 2018 foi a etapa 9. Utilizando boa parte do trajeto da clássica Paris-Roubaix a etapa foi duríssima e praticamente definiu GeraintThomas como grande candidato ao título. Mas para falar do vencedor precisamos voltar um pouco no tempo, entre 2012 e 2015 o sprinter alemão John Degenkolb era uma das grandes sensações do ciclismo. Correndo pela equipe Giant Shimano que hoje é a Sunweb, Degenkolb ganhou a Milão Sanremo, a Paris Roubaix e dez etapas da Vuelta. Em janeiro de 2016 ele e outros seis ciclistas da equipe Giant foram atropelados, suas lesões foram graves e quase perdeu o dedo indicador esquerdo. Ele retornou as competições quatro meses depois mas não conseguiu chegar perto do desempenho de outrora. O hiato de quase três anos sem vitórias no circuito mundial o levou a emocionante entrevista:

“Pura felicidade! Realmente eu estava perseguindo a vitória a tanto tempo, é realmente difícil de descrever. Foi um dia de luta dura, é também uma vitória da equipe. Nós tínhamos um plano para ficar longe de problemas o tempo todo e isso funcionou muito bem para mim. Foi inacreditável. Essa é uma vitória depois de muito tempo, eu passei por tanta coisa foi uma época muito dura. Eu estou feliz em dedicar essa vitória para um de meus melhores amigos a quem posso dizer que foi como um pai para mim. Todos diziam que eu estava acabado após o acidente e que eu nunca voltaria. Eu dizia que eu não estava acabado. Eu tinha que conseguir ao menos uma grande vitória para esse cara, ele foi meu segundo pai. Foi um acidente horrível e uma grande perda sem ele. Eu estou feliz em conseguir essa vitória para ele. Não á como tornar isso mais dramático, mais legal, mais fantástico. Eu estou totalmente esgotado!” John Degenkolb

https://www.youtube.com/watch?v=e4vFFzs9KYo

 

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Sem folga, Peter Sagan vence critério em Aalst e é ovacionado na Bélgica

Mal terminou o Tour de France e o tricampeão mundial de ciclismo Peter Sagan já voltou à ação. Para um público de 55.000 pessoas o critério foi uma diversão total. Com fuga do “homem fuga” Thomas De Gendt apoiado por outros belgas como Van Asbroeck a fuga durou oito voltas. […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: