Paris Roubaix 2018

Luiz Papillon

A terceira monumento da temporada acontece neste domingo num trajeto de 257km entre Compiégne e Roubaix. A prova com transmissão ao vivo pela ESPN+ a partir das 10h está em sua 116ª edição e marca o fim da temporada de paralelepípedos que começou no mês passado com a E3 Harelbeke.

Neste sábado acontece à apresentação das equipes na largada, serão 27 equipes com sete ciclistas por equipe totalizando 189 inscritos.

Equipes convidadas:

Cofidis Vital Concept
Delko Marseille Vérandas Willems
Direct Energie WB Aqua Protect
Fortuneo Classic

 

Neste ano a organização trouxe o torcedor ícone do Tour de France, Didi Senft o “Didi the Devil” que certamente aparecerá durante a transmissão.

Choveu durante mais de uma semana no norte francês embora nos últimos dois dia a chuva parou de cair e os Amigos de Paris Roubaix estão limpando as estradas, ainda assim a expectativa é de possibilidade de chuva e uma das provas mais enlameadas deste século.

 Quem levará para casa o pedaço de pedra mais desejado do ciclismo?

 

Sagan, Terpstra, Avermaet entre os favoritos

Com a dominância da Quick Step nas clássicas da temporada uma certeza é que a matilha de lobos (the Wolfpack) lutará muito pela vitória com Niki Terpstra, Zdenek Stybar e Philippe Gilbert que retorna a Roubaix após 11 anos de sua única participação. Greg Van Avermaet vencedor do ano passado ainda não obteve um grande resultado nesta temporada e conta com uma equipe dedicada a mudar isso com ótimos e experientes ciclistas como Michael Schar, Stefan Kung e Jurgen Roelandts.

O tricampeão mundial Peter Sagan tem como melhor resultado em Roubaix um Top10 em cinco participações, após a Ronde van Vlaanderen reclamou da falta de cooperação de outros pilotos e equipes para perseguir a fuga. Foi repreendido por Tom Boonen, o ícone belga que venceu Roubaix por quatro vezes não economizou palavras:

Falta de cooperação? Ele sempre esta na roda de alguém! Eu não penso que Sagan deveria falar sobre falta de cooperação. Ele é um daqueles que sempre vem na roda, ai quando ele vê o que esta acontecendo (estratégia para liberar a fuga) ai ele vem para frente uma vez e fica pedindo ajuda. Se você faz isso dever manter sua boca fechada.

Em contrapartida Sagan postou em sua conta no instagram uma foto com Boonen e um coração.

@bomtoonen ❤

Uma publicação compartilhada por Peter Sagan (@petosagan) em

O fato é que a Bora mesmo tendo excelentes roladores não tem conseguido colocar ninguém além de Daniel Oss junto com Sagan na ponta. Sem um estratégia eficiente a equipe tem perdido muito do esforço de Oss na perseguição as fugas e ai Sagan perde o embalador e não consegue acompanhar movimentos chave como no ano passado.

Sep Vanmarcke da Education First esteve na ponta em todas as clássicas da temporada fazendo dois terceiros lugares, na Omloop e Dwars door Vlaandewren. Outros nomes de destaque que iremos ver durante aprova são o atual campeão belga Oliver Naesen da Ag2r, Arnaud Demare pela Groupama, Jasper Stuyven da Trek, Gianni Moscon pela Sky e Alexander Kristoff pela UAE.

Dois jovens talentos precisam ser mencionados, o tricampeão mundial de ciclocross Wout Van Aert faz uma temporada excepcional com pódio na Strade Bianche e top10 na Ronde. O dinamarquês Mads Pedersen da Trek foi quinto colocado na Dwars door Vlaanderen e segundo colocado na Ronde.

O inferno do norte

http://www.pelote.com.br/paris-roubaix-2016-o-inferno-do-norte/

O percurso

O trajeto quase plano com 29 sessões de paralelepípedos catalogadas de uma a cinco estrelas devido a dificuldade:

29 – Troisvilles (km 93.5 – 2.2 km)
28 – Briastre (km 100 – 3 km)
27 – Saint-Python (km 109 – 1.5 km)
26 – Quiévy (km 111.5 – 3.7 km)
25 – Saint-Vaast (km 119 – 1.5 km)
24 – Verchain-Maugré (km 130 – 1.2 km) 
23 – Quérénaing (km 134.5 – 1.6 km)
22 – Maing (km 137.5 – 2.5 km)
21 – Monchaux-sur-Ecaillon (km 140.5 – 1.6 km)
20 – Haveluy (km 153.5 – 2.5 km)
19 – Trouée d’Arenberg (km 162 – 2.4 km)
18 – Hélesmes (km 168 – 1.6 km) 
17 – Wandignies (km 174.5 – 3.7 km)
16 – Brillon (km 182 – 2.4 km)
15 – Sars-et-Rosières (km 185.5 – 2.4 km)
14 – Beuvry-la-forêt (km 189 – 1.4 km)
13 – Orchies (km 197 – 1.7 km)
12 – Bersée (km 203 – 2.7 km)
11 – Mons-en-Pévèle (km 208.5 – 3 km)
10 – Avelin (km 214.5 – 0.7 km) 
9 – Ennevelin (km 218 – 1.4 km)
8 – Templeuve – L’Epinette (km 223.5 – 0.2 km)
8 – Templeuve – Moulin-de-Vertain (km 224 – 0.5 km) 
7 – Cysoing (km 230.5 – 1.3 km)
6 – Bourghelles (km 233 – 1.1 km)
5 – Camphin-en-Pévèle (km 237.5 – 1.8 km)
4 – Carrefour de l’Arbre (km 240 – 2.1 km)
3 – Gruson (km 242.5 – 1.1 km)
2 – Hem (km 249 – 1.4 km)
1 – Roubaix (km 256 – 0.3 km)

http://www.pelote.com.br/os-vencedores-da-paris-roubaix/

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Campeão brasileiro de Estrada, Betinho recebe suspensão provisória por doping

O experiente ciclista Roberto Pinheiro o Betinho de 34 anos, piloto da Soul Brasil Cycling foi incluído na lista de ciclistas suspensos temporariamente por uso de substâncias ou métodos proibidos. Como não esta indicada a data de coleta da amostra, existe a possibilidade de Betinho não ter sido encontrado fora […]

leia também

Receba as novidades em seu e-mail