Ícone do site Pelote Ciclismo

Ciclismo Profissional em 2022!

Muitas vezes quando falamos de ciclismo e citamos provas e equipes das divisões do ciclismo, ocorre uma confusão em função da hierarquia do futebol ser diferente do ciclismo. No ciclismo ocorre um padrão mais parecido com o Tênis onde tenistas melhores ranqueados garantem participação em melhores torneios.

Cycling WorldTour – Circuito Mundial de Ciclismo

A elite do ciclismo mundial teria 35 provas em 2022, contudo as restrições sanitárias na Austrália ainda em decorrência da pandemia de covid-19, levaram ao cancelamento das duas primeiras provas. Assim o WorldTour começou oficialmente dia 20 de fevereiro com a Volta dos Emirados Árabes o UAE Tour. Ao todo as 18 equipes WorldTour e as duas líderes do ranking Proteam em 2021 tem convite automático para todas as provas WorldTour nesta temporada.

Em consequência da recente reforma no ciclismo com redução do número de ciclistas por prova, a disputa por vaga nas provas mais importantes ganhou contornos dramáticos. Assim algumas equipes acabam abrindo mão de participar em provas pra atender interesses dos organizadores ou patrocinadores. É o caso da Cofidis que não participará da Strade Bianche 2022 e abriu uma vaga preenchida com o convite a equipe russa Gazprom RusVelo.

Histórico do WorldTour

No começo dos anos 2000 o licenciamento de produtos e ligas estava em alta e a UCI (União Ciclística Internacional) resolveu criar uma elite do ciclismo mundial, chamada então de ProTour. O ProTour consistia em um conjunto de equipes que obtinham licença da UCI para disputar as provas mais importantes do calendário. Contudo em 2007 os atritos entre os organizadores das Grandes Voltas começaram a brigar com a UCI para obter maior liberdade em definir as equipes que disputariam seus eventos.

Logo do antigo ProTour

Os atritos levaram ao conjunto de então 17 equipes ao anúncio de renúncia a licença e foi questão de tempo para a UCI ceder. Após muita negociação em 2011 iniciou-se o WorldTour. Com um total variando entre 18 e 19 equipes, o WorldTour reúne não só a elite do ciclismo como as maiores premiações, exigências técnicas e mesmo salariais para os ciclistas.

O rebaixamento no WorldTour

Para 2022 a novidade é o rebaixamento e ascensão de equipes para o WorldTour. Assim o Ranking do ciclismo mundial passa a ter uma relevância grande. As 18 melhores equipes no ranking ao final da temporada 2022 terão licença WorldTour para o ciclo 2023-2025 e considerando o ranking ao final de 2021, seriam rebaixadas Cofidis e Lotto-Soudal com Alpecin Fenix e Arkéa-Samsic subindo para o WorldTour.

Essa medida visa ao mesmo tempo oferecer um equilíbrio maior entre as equipes WorldTour e permitir o acesso de equipes ProTeam sem a necessidade da compra de licença como ocorreu recentemente com a Intermarché que comprou a licença da CCC ou a Israel que comprou a licença da Katusha.

Cycling WorldTour 2022 | Justin SetterfieldGetty Images

Se por um lado a liderança do Ranking UCI é pouco comemorada devido a diversas mudanças de regras durante os anos desde sua criação, a importância para equipes passa a ser de suma importância. Assim a soma dos pontos obtidos pelos 10 melhores ciclistas da equipe passam a valer milhões de euros em patrocínio. Neste primeiro ciclo de rebaixamento está prevista a média dos pontos das últimas três temporadas (2020, 2021 e 2022).

A pontuação no Ranking UCI

Dentro do ciclismo, assim como na ATP (Associação dos Tenistas Profissionais) os eventos recebem pontuação conforme a tabela (pontua-se até o posto 60) abaixo. O Tour de France oferece a maior pontuação seguido pelo Giro d’Italia e La Vuelta. É possível observar que mesmo corridas de um dia podem ter pontuação superior a provas de uma semana na classificação geral:

Essa pontuação também gera o ranking por nações, e é ele que define o número de participantes de cada nação em disputas como PanAmericano, Mundial e Jogos Olímpicos. É essa a relevância na organização de provas de nível UCI, assim os ciclistas podem pontuar e buscar vagas nessas disputas pelo país.

ProSeries

Iniciada em 2020, a ProSeries é a segunda divisão do ciclismo em importância. Uma série de provas que anteriormente chamavam-se HC (Hors Categorie, ou categoria especial). Com uma participação limitada a 70% de equipes WorldTeams, a ProSeries abre espaço para equipes ProTeam (antigas profissionais continentais) e eventualmente a equipes continentais ou seleções nacionais. Para 2022 um total de 53 provas estão programadas (já considerando o cancelamento do Tour de Langkawi e do Tour de Utah).

Pegando carona na gradação da ATP, seriam aproximadamente os Masters 500, que ficam abaixo dos Grand Selam e Masters 1000.

 

Circuitos Continentais

Os circuitos continentais, como o nome já indica são disputados por equipes continentais e possuem um conjunto de regras regionalizado.

 

 

Hierarquia das provas de ciclismo

No calendário UCI as provas de ciclismo são identificadas como:

Nas demais modalidades como cyclo-cross ou mountain bike, as divisões de elite são identificadas por Wcup (Copa do Mundo) e Class 1 ou Class 2.

Hierarquia das Equipes de Ciclismo

Atualmente a UCI tem 18 equipes WorldTeam, cujas licenças de três temporadas garantem a presença na elite do ciclismo, independente da pontuação de ranking. Já na segunda divisão, as equipes ProTeam recebem licenças anuais e as duas melhores no ranking obtém convite automático para todas as provas WorldTour.

Cristian Egidio vence na Argentina | Franco Xavier Videla | Prensa Vuelta de Mendoza

Abaixo da categoria ProTeam, estão as equipes Continentais que já deixam de ser consideradas como profissionais pela UCI e entram na categoria de clubes. Ao serem enquadradas na categoria de clubes, as equipes continentais tem menores exigências quanto a estrutura envolvendo ainda garantias financeiras para o registro. As equipes Continentais de modo geral não participam de provas WorldTour, apenas de provas ProSeries ou abaixo quando convidadas.

No final da hierarquia do ciclismo estão os clubes locais, cuja participação em provas é limitada ao país de registro. Assim quando uma equipe local disputa uma prova em um país vizinho normalmente o faz utilizando as cores da seleção nacional.

 

 

 

Sair da versão mobile