Alaphilippe vence a Fleche Wallonne

Luiz Papillon

Julian Alaphilippe atacou no finalzinho do Mur de Huy e venceu a Fleche Wallonne 2021! Após neutralizar a fuga no pé do Mur de Huy, os favoritos se destacaram trocando ataques até que Primoz Roglic se destacou e só foi perseguido por Alaphilippe e Valverde. No final Alaphilippe alcançou a ultrapassou Roglic para vencer pela terceira vez a Fleche Wallonne. Roglic foi o segundo e Valverde completou o pódio.

Fleche Wallonne  2021 – 85 anos de história

Primeira das duas clássicas na Valônia, uma das três regiões belgas, a Fleche Wallonne acontece quase sempre entre a Amstel Gold Race e a monumento Liège Bastogne Liège. A prova foi disputada pela primeira vez em 1936, criada como evento promocional do jornal Les Sports. A disputa chegou a ter 300km em 1938 e desde 1990 a prova não passa de 210km. No calendário WorldTour (primeira divisão do ciclismo) UCI desde 2009, a Fleche Wallonne tem largada em Charleroi e percorre três voltas em um circuito que inclui a subida do Mur de Huy com trechos de até 26% de inclinação. A chegada fica logo após a subida do Mur de Huy. A versão feminina da prova é disputada desde 1998, a edição 2020 teve 130.2km de distância.

O recordista de vitórias na Fleche Wallonne é o espanhol Alejandro Valverde com cinco vitórias, já entre as mulheres, a holandesa Anna Van der Breggen venceu sete vezes de modo consecutivo, incluindo a edição de 2021. Entre os favoritos, destacamos Primoz Roglic, Tom Pidcock e Julian Alaphilippe.

Fleche Wallonne Feminina – Van der Breggen dá show!

Anna van der Breggen | Foto CorVos
Anna van der Breggen | Foto CorVos

Pela sétima vez consecutiva, Anna van der Breggen venceu a Fleche Wallonne. Liderando um pequeno grupo com as favoritas, Van der Breggen assumiu a liderança no Mur de Huy, sendo seguida apenas pela polonesa Kasia Niewiadoma. No sprint entre ambas, Van der Breggen se distanciou a 100m da chegada para vencer. Elisa Longo Borghini completou o pódio.

Tudo ficou para o Huy no final, mas a prova foi dura desde o começo e o ritmo foi realmente alto nas subidas” disse Van der Breggen.

UAE Team Emirates fora da Fleche Wallonne

A equipe UAE Team Emirates não largou para a Fleche Wallonne. Um teste positivo para covid-19 foi o motivo do abandono da equipe que tinha em Tadej Pogacar, vencedor do Tour de France 2020 um grande favorito a vitória. Durante a manhã diversos jornalistas comentaram a possibilidade de um falso positivo, porém a organização e equipe optaram por seguir os protocolos UCI e não dar sequência a participação da equipe.

Fuga tem ação com carro de apoio ajudando Alex Howes

Após pouco mais de 60km de prova e muitas tentativas de fuga, um grupo de oito ciclistas formou a fuga do dia:

  • Diego Rosa – Arkea Samsic
  • Mauritis Lammertink – Intermarché
  • Sander Armée – Assos Qhubeka
  • Simone Velasco – Gazprom RusVelo
  • Louis Vervaeke – Alpecin Fenix
  • Sylvain Moniquet – Lotto Soudal
  • Alex Howes – EF Nippo
  • Julian Mertens – Sport Vlaanderen Baloise

A 78km do final, Alex howes, atual campeão norte-americano da EF Nippo sofreu um problema mecânico. Por conta do carro de apoio da equipe ter ficado atrás do pelote e a largura das estradas na Valônia não permitirem a ultrapassagem, o ciclista foi atendido pelo suporte neutro da prova, fornecido pela Shimano. Howes conseguiu reconectar a fuga e recebeu ajuda de outras equipes como a Inermarché para ter caramanholas.

Apesar de algumas quedas sem gravidade, o pelote seguiu tentando controlar a diferença para a fuga. Já dentro dos 20km finais, os ataques para fazer a ponte entre o pelote e a fuga começaram, especialmente com Tim Wellens (Lotto Soudal). No pelote a Deceuninck Quick Step seguiu na liderança da perseguição e entrou nos 15km finais com trinta segundos de desvantagem para a fuga.

Restando 11km para o final a fuga sofria e era possível ter na mesma tomada de imagem os remanescentes da fuga e o belga Tim Wellens em uma de suas tentativas de alcançar a ponta da prova. Maurits Lammertink foi o último remanescente da fuga. Atrás os ataques entre os favoritos começaram com Carapaz e Roglic trocando ataques.

Lammertink resiste até o Mur de Huy

Na ponta Lammertink resistia com cerca de 20 segundos de vantagem já dentro dos 2km finais. Seria uma luta entre os favoritos, Lammertink e o Mur de Huy entre eles. Mas assim que começou o Huy, acabou para Lammertink e começaram os ataques. Roglic disparou na frente perseguido por Alaphilippe e Valverde um pouco atrás. E no final, Alaphilippe saltou para ultrapassar Roglic e vencer a Fleche Wallonne 2021. Roglic ficou em segundo e o veterano Alejandro Valverde completou o pódio.

Alejandro Valverde cumprimenta Alaphilippe pela vitória | Foto Team Movistar
Alejandro Valverde cumprimenta Alaphilippe pela vitória | Foto Team Movistar

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Liège Bastogne Liège 2021

Disputada desde 1892, a Liège Bastogne Liège é tão antiga como o próprio ciclismo. Uma prova longa, extensa e cheia de tradição passando por locais históricos será o destaque do final de semana no WorldTour. 107ª Liège Bastogne Liège A La Doyenne (a Velha Senhora, a Decana, a mais antiga) […]
Liege Bastogne Liege 2021 Poster

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: