Manuela oferece 10 milhões de Euros por licença da Mitchelton

Luiz Papillon

Parece novela mexicana, mas é só o ciclismo WorldTour na sua luta pela sobrevivência. Desta vez mais uma possível reviravolta no caso da equipe Manuela Fundación. Francisco Huertas, mantenedor da fundação Manuela teria oferecido 10 milhões de euros para tornar-se sócio da GreenEdge e assim deter a licença WorldTour.

Salvador da equipe ou picareta?

Faço uma pequena recapitulação do caso. No começo do mês, foi anunciado um acordo para salvar a equipe Mitchelton Scott, nome comercial da GreenEdge Cycling. Contudo as informações que levantamos em conjunto com o jornalista George Panara da Mundobici, mostraram uma série de pontos não amarrados na ascensão subida de um pequeno empresário espanhol envolvido em casos de calote na região de Granada. Rapidamente a mídia especializada repercutiu esses casos. Para colocar mais lenha na fogueira, a própria Fundação Manuela não existe oficialmente, com prévia de lançamento em 04 de outubro.

Francisco Huertas, mantenedor da Manuela Fundación ao centro | Foto Facebook

 

Veio então uma declaração por parte do italiano Stefano Garzelli, ex-ciclista que é comentarista na RAI e seria o articulador do negócio. Garzelli declarou que o mantenedor da fundação Manuela teria a partir de 2021 a licença WorldTour que hoje pertence a GreenEdge. A reação por parte de Gerry Ryan, dono da GreenEdge foi dura, definindo que o acordo não seria levado a diante.

10 milhões de Euros pela Licença WorldTour

Hoje o jornal espanhol AS revelou que Francisco Huertas, o empresário mantenedor da Fundação Manuela teria oferecido 10 milhões de euros pela licença WorldTour. A matéria revelou também detalhes do acordo assinado no começo do mês.

Todo acordo assinado pela fundação Manuela, foi tratado com Shayne Bannan, dono da empresa que controla os contratos dos ciclistas da GreenEdge, a New Global. Shayne é o diretor geral da GreenEdge. O acordo que chegaria a 20 milhões de euros, daria direito a Fundação Manuela aos contratos dos ciclistas, membros da equipe técnica. Esse acordo jamais tratou da licença WorldTour. E em função desse imbróglio todo, Huertas acenou com uma verba suplementar de 10 milhões de euros para tornar-se sócio da GreenEdge e evitar uma batalha judicial.

Até o momento nem Gerry Ryan, nem a equipe Mitchelton Scott se pronunciaram sobre a oferta.

 

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Clássico do ciclismo, filme mostra bastidores da origem do MTB estilo livre

Disponível gratuitamente na internet, ‘The Moment’ revela como surgiu a modalidade e apresenta curiosidades sobre trajetória do esporte. Destreza, coragem, insanidade e paixão pelo ciclismo fizeram com que o mountain bike estilo livre nascesse e ganhasse milhões de fãs e praticantes ao redor do mundo. The Moment Mas, no começo, […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: