Ela pedalou 1.200km levando o pai ferido e foi parar na seleção!

Luiz Papillon

Sabe aquelas histórias que poderiam virar enredo de filme facilmente? A indiana Jyoti Kumari de apenas 15 anos colocou o pai na garupa de sua bicicleta e saiu de Gurugram a Darbhanga percorrendo 1.200km em sete dias.

Despejo do pai sob lockdown motivou a viagem

Paswan, pai de Jyoti morava em Gurugram uma cidade nos arredores de Nova Déli, capital da Índia. Após sofrer um acidente no início do ano, Paswan além de não se recuperar, não pode exercer sua atividade devido ao Lockdown severo que a região enfrenta devido a pandemia.

“Consegui ganhar tempo, prometi ao senhorio que aceitaria qualquer emprego depois que o lockdown fosse suspenso para pagar a dívida. Até meu remédio deixei de tomar para ter uma refeição ao dia, como poderia pagar o aluguel? Disse Paswan ao Hindustan Times.

Jyoti então aproveitou a primeira folga da mãe, enfermeira em Darbhanga, para deixar os cuidados dos quatro irmãos e viajar até seu pai. Como seu pai não podia caminhar e o transporte público estava sob lockdown, a jovem resolveu colocar o pai na garupa de uma bicicleta e o levar para casa.

A história logo chegou aos jornais e ganhou repercussão internacional com Ivanka Trump, filha do presidente norte-americano Donald Trump que retuitou a história chamando a viagem de “uma bonita história de resistência e amor”.

Repercussão levou a convite da federação de ciclismo

Com a repercussão, a federação indiana então ofereceu a Jyoti Kumari um teste na seleção indiana. Se passar no teste a estudante será estagiária na seleção permanente indiana, com sede na Arena Indira Gandhi, uma das mais modernas da Ásia.

“Nós falamos com a garota nesta manhã e contamos a ela que será convidada para ir a Nova Déli no próximo mês, assim que o Lockdown ser retirado. Todas despesas de sua viagem e estadia será paga pela federação” disse Onkar Singh, presidente da federação de ciclismo indiana.

Complexo Indira Gandhi | foto: Divulgação Gov. Indiano

“Ela deve ter algo dentro dela. Pedalar mais de 1.200km não significa um trabalho, ela tem que ter a força física e mental e nós preicsamos testar isso. Vamos coloca-la em uma bicicleta computadorizada e testar se ela atinge sete ou oito parâmetros para ser selecionada. Nós temos cerca dez ciclistas no grupo de 14-15 anos na academia. Assim pretendemos cultivar jovens talentos”. completou Srinivas Gowda, jóquei indiano e estrela nacional.

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Vittorio Brumotti atacado por traficantes em Milão

O ciclista Vittorio Brumotti vive uma vida dupla, além das apresentações em trial bike que faz pela Astana, também faz um trabalho social ao expor traficantes de drogas. Vittorio Brumotti expõe traficantes e é atacado em Milão Desde 2017, Brumotti trabalha para o portal Striscia La Notizia voluntariamente. Nesse período […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: