Vicenzo Nibali vence etapa 19 do Tour de France 2015

Vincenzo Nibali e Nairo Quintana finalmente mostraram o Tour que a gente queria ver! Ataques, pancadas, fugas na descida e muita adrenalina com essa turminha do barulho, que apronta muita confusão nas estradas da França (locução da sessão da tarde OFF). Quem deve estar feliz é o Vino, chefe do Niba na Astana.

 

nibali

Logo de cara, no Col du Chaussy uma fuga de 22 atletas se formou enquanto Movistar, Tinkoff-Saxo e Astana trataram de apertar o passo no pelotão principal. O motivo era obvio: depois de tantos dias cuidando de Froome, certamente a Sky estaria cansada. A maior prova disso foi o Thomas, que perdeu 22 minutos no fim da etapa, caindo de 4º para 15º na geral.

Na subida do Col de la Croix de Fer, a segunda do dia, Pierre Roland atacou o grupo dos escapados e foi embora. Atrás dele, Rigoberto Urán (com eco) ainda tentou coordenar uma captura, mas ninguém teve pernas para seguir o francês morro acima.
Lá atrás, a Astana puxava o bloco quando Valverde atacou. Aparentemente ele só queria testar as forças da Sky. Froome, como de costume, responde lentamente para economizar as pernas. Logo em seguida, Valverde voltou para o bloco.

Alguns instantes depois, a 6 km do topo da montanha HC, Froome teve um problema com pedra – não, ele não está fumando crack para perder peso. Na verdade, o homem de amarelo teve que parar para tirar uma pedrinha que havia ficado presa em seu freio traseiro. Neste momento, por coincidência ou não, Nibali atacou e foi-se embora – mais sobre isso hoje.
Valverde ainda fez mais uma aceleração, obrigando a resposta de Pouls. O gregário da Sky botou na frente e trouxe consigo Froome, Quintana, Contador e mais alguns atletas.

Provavelmente, este ataque serviu para minar ainda mais as forças da Sky. Durante a descida, Valverde atacou de novo, obrigando a Sky a trabalhar mais um pouquinho. Lá em baixo, Froome deu xilique, ficou bravinho e, em um ataque de criancinha, falou pro Valverde que ele era bobo, feio, chato e que tinha cara de pum fedorento mil vezes infinito, infinito.

Durante a descida, o corajoso Rolland conseguiu manter-se à frente de Nibali, que vinha em sua captura em alta velocidade, ultrapassando todos os carros na Marginal (opa, isso é outro assunto). O Frances entrou na subida do Col Du Molland, a penúltima do dia, com um minuto de vantagem sobre o italiano.
Porém, durante a subida, Nibali foi buscando Rolland lentamente e os dois cruzaram o topo da penúltima montanha quase juntos. Lá atrás, Bardet atacou o pelotão para pegar uns pontos da luta pelas bolinhas e para tentar chegar aos líderes na descida. Porém, um problema na bicicleta atrapalhou os planos do francês com dentes de grão de milho.

A descida do pelotão principal rumo à última subida foi relativamente tranquila. La na frente, porém, a história era outra. Niba passou por Rolland e falou “Ei, cara! Vem na minha roda! Vai ser bom para você”. O francês até que tentou, mas depois de quase morrer numa curva, foi pra frente para tentar fazer a descida no seu ritmo.

Os dois seguiram juntos até a base do La Toussuire, quando Nibali atacou e rumou confiante para conquistar uma linda vitória. Atrás dele, Majka puxava o grupo principal com um ritmo elevado, evitando qualquer tentativa de aceleração.

Porém, a 5 km da meta, Nairo Quintana lançou um artefato termonuclear no bloco e ninguém conseguiu responder. Froome só conseguiu olhar para seu Power Meter e acelerar lentamente, tentando recuperar terreno furtado pelo colombiano. Contador e Valverde vieram junto, mas logo sobraram da roda do magrelão.
No fim da etapa, Nairo passou com 30 segundos de vantagem.

Mais do que meio minuto, o colombiano finalmente conseguiu rachar o escudo de Froome. Com isso, provavelmente veremos mais pancadas amanhã no Alp d’Huez. Por isso, marquem seus pedais para cedo e estejam em casa para assistir a última etapa alpina do Tour 2015!