Velódromo deve ser o maior fiasco das Olimpíadas!

A imagem abaixo é do extinto velódromo construído para os jogos pan-americanos de 2007 no Rio, que custou 14 milhões de reais, e como o leitor pode notar haviam dois pilares no centro da pista, o que desqualificava a instalação para competições como Mundial e Olimpíadas pela UCI. A federação carioca ainda gastou 3 milhões de reais para tentar manter o Velódromo no Rio.

 

velodromo

Arquiteto holandês Sander Doua que projetou o velódromo declarou que seria possível reformar a instalação para serem atendidas as requisições da UCI, a reforma teria custo estimado de 6,5 milhões de euros.

Nada feito, a megalomania dos políticos brasileiros com o dinheiro de nossos impostos é voraz, melhor mesmo era botar abaixo o “antigo” e fazer um novo. Foi aprovado um projeto de 134 milhões de reais para o novo Velódromo, ainda em 2013, depois a obra receberia um aditivo de 24,8 milhões e veio a promessa então foi doar o antigo velódromo a cidade de Pinhais no Paraná, só o transporte custou 1 milhão de reais e para piorar o material esta desmontado apodrecendo em depósito. Veja na matéria da ESPN de 2015.

velodromo1

Como tudo é muito complexo a prefeitura do Rio criou um cabide de empregos, ops uma estatal para cuidar das obras, em março deste ano a empresa que tocava a obra jogou a toalha, pediu recuperação judicial e o sinal de alerta passou ao perigo máximo/

Prefeitura e comitê olímpico dizem que as obras estão 88% concluídas, agora construtora e prefeitura trocam acusações sobre a responsabilidade e o fato é que estamos diante de um fracasso milionário. A prefeitura rompeu dia 30 de maio o contrato com a empreiteira Tecnosolo e bloqueou 23 milhões que a empresa tinha a receber e agora efetiva contrato com a Engetécnica para finalizar a obra, custo só para o arremate: 55,4 milhões. Não perca a conta, ainda que a prefeitura não tenha que pagar os 23 milhões a Tecnosolo a conta já passa de 191 milhões.

A programação inicial era ter um evento teste em março, foi postergado para maio e já se fala em final de junho. A UCI esta atenta e podemos ter todas as provas de pista canceladas ou transferidas seja para Bogotá ou Londres.

“Estou muito insatisfeito. O progresso (das obras) ainda me parece incrivelmente lento. Não teremos nenhum tempo para os testes apropriados e isso é muito, muito preocupante”

Brian Cookson, presidente da UCI em 25 de maio para a ESPN.