Sábado tem clássica! 109ª Milão Sanremo

A primeira monumento da temporada de ciclismo acontece neste sábado entre Milão e Sanremo, a Classicissima percorre 291km entre a quinta maior metrópole europeia, a capital do design Milão e a pequena Sanremo na Riviera italiana. A corrida em sua 109ª edição deixou de ser realizada apenas em três edições, 1916, 1944 e 1945 em decorrência das grandes guerras.

São ao todo cinco prova monumentais no calendário do ciclismo profissional:

  • Milano Sanremo 17/03 – 291km
  • Volta a Flandres (Ronde Van Vlaanderen) 01/04 – 260km
  • Paris – Roubaix 08/04 – 257.5km
  • Liège-Bastogne-Liège 22/04 – 258km
  • Il Lombardia – 13/08 – 247km

 

Eddy Merckx em sua 7ª vitória na Milano-Sanremo em 1976

O recordista de vitórias na prova é Eddy Merckx com sete vitórias, entre os ciclistas em atividade, Michal Kwiatkowski foi o vencedor ano passado enquanto Arnaud Démare, John Degenkolb, Alexander Kristoff, Filippo Pozzato e Simon Gerrans já venceram a prova. O alemão John Degenkolb é o único vencedor em atividade que não participará da prova.

 

 

 

 

Milão a Pogio – O percurso

A prova de alta resistência é em maioria plana com dois pontos chave, o Passo del Turchino no km142 e as duas subidas de Cipressa e Poggio nos quilômetros 239 e 285.6, não raras as perseguições a fuga após o Turchino são emocionantes batalhas. Já as subidas de Cipressa (5650m inclinação média 4.1%) e Poggio (3700m inclinação máxima 3.7%) são palcos de ataques para vitória. Como o ataque feito por Peter Sagan ano passado e que levou Kwiatkowski na roda, sem conseguir se desvincilhar do polonês, Sagan foi batido sobre a linha numa chegada épica com Alaphilippe em terceiro.

Subida Cipressa – Foto Gazzetta press / Divulgação

Ataque que ainda rende polêmica, após o final da Tirreno Adriático as rusgas voltaram a tona com Sagan declarando:

“Se eu ganhasse a Milão Sanremo como Kwiatkowsli, eu não estaria feliz com minha performance. Eu prefiro dar um show para as pessoas e é isso que esta acontecendo, não importa se você ganha ou perde.”

Kwiatkowski vence Sagan e Alaphilippe – Foto Gazzetta press / Divulgação

E o polonês, campeão do mundo em 2014 deu o troco em estilo:

“Eu sei como é correr com a camisa arco íris. É parte do jogo ele dizer esse tipo de coisa, muitos caras o colocam sobre pressão. Ele esta fazendo um jogo mental? As vezes você vencer sendo o mais inteligente, não o mais forte”

 

Os Favoritos

Mas a Milão Sanremo não é só Sagan e Kwiato, muitos ciclistas clássicos vem na primeira monumento da temporada o local perfeito para mostrar a que vieram, o Pelote destaca entre os favoritos:

Greg Van Avermaet pela BMC, Arnaud Dèmare pela Groupama, André Greipel na Lotto Soudal, Alexander Kristoff pela UAE e no mínimo dois ciclistas da Quick Step, Elia Viviani e Philippe Gilbert.

Stepan Kurianov – O mais jovem
Franco Pellizotti – O mais experiente

O competidor mais jovem a disputar aprova será o russo Stepan Kurianov com 21 anos e 100 dias, já o mais experiente é o italiano Franco Pellizotti da equipe Bahrein com 40 anos e 61 dias no dia da prova. Estarão presentes todas as equipes do Circuito Mundial de ciclismo profissional da UCI e as equipes convidadas Cofidis (França), Israel Cycling Academy (Israel), Novo Nordisk (EUA), Gazprom (Rússia), Bardiani, Nippo Vini Fantini e Wilier (Italianas).

A prova infelizmente não tem previsão de transmissão para o Brasil, restando como opções o aplicativo Watch ESPN, e utilizando VPN sintonizar em transmissões como a do canal italiano RAI.

Deixe uma resposta