Michał Kwiatkowski ganha Milan-Sanremo com Peter Sagan em segundo

Duzentos e noventa e um quilômetros! A prova mais longa do circuito mundial de ciclismo acabou agora pouco, Kwiatkowski venceu o sprint em Poggio di Sanremo após mais de sete horas  pedalando pela belíssima costa da Ligúria. Após um ataque de Sagan na subida final em Poggio di Sanremo, Alaphilippe e Kwiatkowski seguiram com Sagan pelos últimos 4km com uma pequena vantagem sobre o pelote, definindo no sprint o vencedor da Milan-Sanremo 2017.

Plano de corrida de Marcel Sieberg da Lotto Soudal

Uma prova longa que começou com tempo limpo e logo nos primeiros quilômetros de prova uma fuga com dez pilotos, sendo dois pilotos da cannondale, William Clarke e Tom Skujins, Nico Denz da Ag2R, Frederico Zurlo da Bahrein e os pilotos das equipes continentais Mattia Frapporti  da Androni, Mirco Maestri da Bardiani, Ivan Rovny da Gazprom, Alan Marangoni da Nippo-Fantini, Umberto Poli da Novo Nordisk e Julen Amezqueta da Wilier.

Com um pouco mais de tempo a fuga conseguiu estabilizar uma diferença de quase cinco minutos, uma fuga grande assim é mais complicada de ser pega, ainda mais em uma prova sem grandes montanhas.  Entre os pilotos presentes nesta edição, seis venceram a Milan-Sanremo no passado, são eles Filippo Pozzato da Wilier, Simon Gerrans da Scott, Alexander Kristoff da Katusha, Mark Cavendish da Dimension Data John Degenkolb da Trek e o vencedor da edição 2016 Arnaud Démare da FdJ.

Com 100km percorridos a fuga seguia com uma vantagem na casa dos quatro minutos sobre o pelote e com essa vantagem começaram a subir o Passo del Turchino, veio a zona de alimentação com a vantagem caindo para 2’15”, com a diferença baixando para casa de um minuto, do pelote Alexis Gougeard da Ag2R resolveu fazer uma perseguição abriu uma pequena vantagem para o pelote mas sem conseguir se aproximar da fuga, enquanto isso na fuga a primeira baixa, Umberto Poli e Matia Frapporti sobraram, Poli foi chamado para prova apenas três dias antes.

Com 50km para o final, os remanescentes da fuga chegaram  a Cipressa em direção a Sanremo, estavam chegando ao final com um minuto de vantagem sobre o pelote. chegada da Cipressa, uma subida de 5.6km e 4.1% vimos o tempo ficar mais fechado e para a fuga com a Katusha e Cofidis puxando o pelote. Em um trecho com muitos tifosi, os sinalizadores deram o tom na atmosfera, talvez não tão legal para quem estava no meio do pelote:

 

Com a fuga morta veio o ataque com Philippe Gilbert, Greg Avermaet, Tom Dumoulin, Tim Wellens e Daniel Oss mas foram logo neutralizados, faltavam 24km par ao final. A Tv começou a mostrar os sprinters, com 15km para o final Peter Sagan aparece na cabeça do pelote seguido pela Quick Step.

Chegaram ao Poggio di Sanremo, uma subida de 3.6km, Dumoulin escalou amaior parte em primeiro com a Sky grudada na roda, quando próximo ao topo veio o ataque, Sagan levantou do selim e atacou, com ele foram Julian Alaphilippe e Michael Kwiatkowski, desceram rápido e juntos enquanto no pelote um momento de excitação a Bahrein Merida passou a cabeça com Boaro e Colbrelli. entraram pelo último quilômetro com 18 segundos de vantagem, não haveria sprint massivo, seria entre o trio e foi mais forte, após 291km Kwiatkowski venceu a primeira monumento do ano! Peter Sagan ficou com a segunda colocação e Alaphilippe em terceiro, que prova!

Os dez primeiros foram:

  1. Michal Kwiatkowski Pol – Sky – 7h 08′ 39″
  2. Peter Sagan – Esl – Bora-Hansgrohe
  3. Julian Alaphilippe Fra – Quick Step
  4. Alexander Kristoff Nor – Katusha – 05″
  5. Fernando Gaviria -Col – Quick Step – 05″
  6. Arnaud Demare -Fra – FdJ – 05″
  7. John Degenkolb – Ale – Trek – 05″
  8. Nacer Bouhani – Fra – Cofidis – 05″
  9. Elia Viviani – Ita – Sky – 05″
  10. Caleb Ewan – Aut – 05″

Confira os melhores momentos:

Deixe uma resposta