Guia da Vuelta 2018

No próximo sábado começa a 73ª edição de “La Vuelta” como é conhecida da Volta a Espanha. Disputada no forte calor espanhol a prova de três semanas é a última das três grandes voltas da temporada de ciclismo profissional. Com duas etapas de contra relógio individual e brutais nove chegadas ao alto a Vuelta 2018 será um desafio para os ciclistas. Os melhores ciclistas estarão disputando a competição. Como toda competição de três semanas a disputa é dividida em várias competições dentro da prova.

Atualmente o vencedor na classificação geral utiliza a camisa vermelha mas nem sempre foi assim. Em 1935 a camisa de líder era laranja, em 1941 foi branca enquanto de 1945 a 1950 o líder vestia a camisa branca com listra vermelha. Entre 1950 e 1997 o líder utilizava a camisa amarela tal qual no Tour de France. Em 1998 o líder usou uma camiseta dourada e finalmente em 2010 a camisa vermelha é utilizada pelo líder na classificação geral. Neste ano a Vuelta resgata a camisa de líder combinado que será branca enquanto o líder jovem até 25 anos utilizará um costal (identificação do ciclista) vermelho e branco. Conheça as camisas e costais de líder da Vuelta 2018:

Assim há competição por títulos distintos:

  • Classificação Geral – Camisa Vermelha oferecida por Carrefour

Vale o menor tempo na geral, os ciclistas recebem bônus de tempo ao final de cada etapa de 10,6 e 4 segundos para os três primeiros classificados, exceto em etapas de contra relógio.

  • Classificação por Pontos – Camisa Verde oferecida por Skoda

Os 15 primeiros colocados recebem pontuação decrescente de 25 pontos até 1 ponto por etapa. Além disso nos sprints intermediários há distribuição de 4, 2 e 1 ponto para os três primeiros respectivamente. O ciclista com maior número de pontos é o camisa verde ao final de cada etapa.

  • Rei da Montanha – Camisa branca com bolinhas azuis oferecida pelas Loterias espanholas. O ciclista com maior número de pontos ao final de cada etapa é o rei da montanha.

Na Cima Almberto Fernandez a montanha recebe pontuação especial com 20 a 2 pontos conforme a colocação de chegada, nas demais subidas segue pontuação conforme a dificuldade da montanha.

  • Classsificação Combinada – Camisa Branca oferecida pela Fertiberia

A classificação combinada é resultado pela soma do ciclista na posição de cada classificação e o ciclista com a menor soma lidera a camisa (Ex. Valverde em 2º no geral, 10º em Pontos e 5º em montanha teria 17 pontos na camisa combinada enquanto Viviani mesmo estando Simon Yates mesmo liderando no Geral e por Montanha esteja em 20º por pontos teria 22 pontos)

  • Jovem até 25 anos – Costal especial vermelho oferecida pelo diário AS

Segue os tempos da classificação geral excluindo os ciclistas com mais de 25 anos.

  • Equipe líder – Costal Especial amarelo oferecido pela Dachser

Calculada pela soma do tempo dos três primeiros ciclistas de cada equipe a cruzar a linha de chegada ao final de cada etapa.

  • Vencedor da última etapa – Costal vermelho especial oferecido pela Cofidis Seguros
  • Mais combativo da etapa anterior – Costal verde oferecida pela Fenie Energia.

O mais combativo é uma escolha de jurados e feita antes do final da etapa.

Richie Porte, Simon Yates e Nairo Quintana lideram as casas de apostas para a classificação geral. Peter Sagan e Elia Viviani são os favoritos na classificação por pontos. Ainda sem todas equipes definidas vou falar mais detalhadamente sobre os favoritos em outro texto.

 

História da La Vuelta

La Vuelta é disputada desde 1935 quando o belga Gustaa Deloor venceu após 3.425km de provas. Mais nova das três grandes voltas do ciclismo mundial de 1937 a 1940 a competição não aconteceu em função da Guerra Civil Espanhola, já as edições de 1944 e 1945 não ocorreram devido a II Guerra mundial. Durante os anos mais duros da ditadura Franco a Vuelta deixou de ser disputada em 1949 e de 1951 a 1954. Desde então a Vuelta foi obtendo uma exposição internacional cada vez maior. Em 1963 o francês Jacques Anquetil venceu a Vuelta se tornando o primeiro da história a vencer as três grandes voltas, fato repetido por apenas mais seis ciclistas:

  • Jacques Anquetil
  • Felice Gimondi
  • Eddy Merckx
  • Bernard Hinault
  • Alberto Contador
  • Vincnezo Nibali
  • Chris Froome

O espanhol Roberto Heras foi o maior vencedor da Vuelta com 4 vitórias entre 2000 e 2006 enquanto Tony Rominger e Alberto Contador venceram três edições cada. Entre os ciclistas em atividade Alejandro Valverde tem seis pódios e um título enquanto Froome tem quatro pódios e um título e Nibali três pódios e um título. Além deles Nairo Quintana também venceu uma edição em 2016. Em 2013 o americano Chris Horner tornou-se o mais velho ciclista a vencer a Vuelta com 41 anos de idade completos. Este ano não teremos a chance de um Double na Vuelta já que Chris Froome vencedor do Giro e Geraint Thomas vencedor do Tour de France não estarão presentes na Vuelta.

A mudança de calendário

Hoje nós conhecemos a Vuelta como a última grande competição de ciclismo do ano, sendo esta uma mudança relativamente recente. Até 1995 a Vuelta era disputada na primavera tendo uma competição direta com o Giro d’Italia e o que impedia a disputa das três grandes voltas no mesmo ano. Com a mudança para Agosto no auge do verão espanhol as altas temperaturas passaram a ser um componente adicional na disputa.

A Edição 2018 da Vuelta

Por 21 etapas em três semanas de disputa, 176 ciclistas de países irão disputar a vitória naquela que é a terceira grande volta do ciclismo da temporada. Serão 22 equipes com 8 ciclistas cada, sendo 18 equipes do Circuito Mundial o “World Tour” como é conhecida a primeira divisão do ciclismo e 4 equipes convidadas, as equipes Profissionais Continentais, da segunda divisão do ciclismo profissional. Como os convites são dados pela organizadora a A.S.O. (Amaury Sport Organization), muitas vezes equipes com destaque na temporada ficam de fora. Nesta temporada a Aqua Blue Sport não foi convidada. Apesar de ter vencido uma etapa em 2017 a equipe irlandesa foi deixada de lado pela organização que completou a lista de equipes com as espanholas Burgos BH, Caja Rural e Euskadi além da francesa Cofidis que tem seu patrocinador principal também presente na prova o que explica seu convite.

Entre as equipes, a Astana tem 3 títulos e 17 vitórias em etapas, embora sem títulos a Cofidis possui 15 vitórias em etapas enquanto a grande vencedora da Vuelta a Movistar possui 4 títulos e 59 vitórias em etapas. A equipe Sky grande papa-títulos do ciclismo possui apenas uma vitória na classificação geral que foi ano passado com Chris Froome.

Alguns números da Vuelta 2018:

  • Distância total: 3.254,7km
  • Subidas categorizadas: 51
  • Metas de sprint intermediárias: 19
  • Total de Contra Relógio Individual: 40km
  • Transmissão em 188 países
  • 70h de transmissão ao vivo
  • Teve em 2017 1.55 milhões de telespectadores em média

Para o Brasil a transmissão será pela ESPN que entra no ar com aproximadamente duas horas de prova diariamente. Único ciclista brasileiro em equipe profissional continental, Nicolas Sessler não foi convocado pela equipe Burgos BH para disputa da prova. Jordi Simon espanhol também da Burgos BH e que teve uma passagem de uma temporada pela brasileira Funvic estará disputando a prova.

As 21 etapas da Vuelta 2018

Serão nove chegadas ao alto que marcarão a edição 2018 da Vuelta. Para balancear a organização colocou dois contra relógios individuais, o primeiro com um prólogo de apenas 8km permitirá uma luta franca pela camisa de líder durante a primeira semana. Sob organização da A.S.O. a mesma do Tour de France, a prova erá também uma etapa mais curta de 97,3km em Andorra.

Confira os perfis altimétricos de todas etapas da Vuelta 2018:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.