O Giro de Merckx!

Dando sequência a postagens sobre um pouco da história centenária do Giro d’Italia, falamos na ultima postagem sobre Binda, Bartali e Coppi, em 1967 Eddy Merckx disputa seu primeiro giro ainda pela Peugeot vencendo duas etapas e terminando em novo, sua transferência para a milanesa Faema em 1968 o colocou como candidato ao título de 1968, ano que pela primeira vez o Giro testou atletas contra o doping, com 8 positivos e também o primeiro a ter um prólogo de contra-relógio.

1968

Gimondi era o homem a ser batido e Merckx então campeão mundial fez uma escalada espetacular no estágio 12 para a Tre Cime di Lavaredo para abrir distância.

1968-1

Estava iniciada uma série de vitórias que mudaria o ciclismo, Merckx venceria o Giro mais quatro vezes, levaria por pontos duas vezes e vestiria a camisa de escalador 24 vezes. Como nem tudo são flores no ciclismo, em 69 Merckx testou positivo para um estimulante na etapa de Savona e foi desclassificado, alegações de erro de manipulação, inocentado pela UCI e dois meses depois alinhava para ganhar o seu primeiro Tour de France.

A década contaria com Bertoglio, Gimondi ganhando seu terceiro giro em 76, o belga Pollentier em 77 e o também belga De Muynck levou 78, Saranni 79 para então Le Patron Bernard Hinault vencer em 1980. Que falamos no próximo texto.