Giro d’Italia um pedaço da história do ciclismo!

A poucos dias de mais uma edição do Giro d’Italia, vamos falar um pouco das origens da prova que tornou-se um dos três grandes eventos de ciclismo do mundo, um Grand Tour!Seguindo os passos de publicações francesas como a Le Vélo que ajudou a organizar a Paris-Roubaix, o editor Tullo Morgagni do jornal “cor de rosa” La Gazzetta dello Sport publicado desde 1896 contatou o dono do jornal e o editor de ciclismo lançando a ideia de uma grande volta na Itália, como ocorria com a vizinha França e o Tour de France, sabendo dos planos do jornal concorrente Corriere dela Sera em promover corridas de ciclismo, os donos aceleraram os planos em em 13 de maio de 1909.

1912-la-partenza-del-giro-d

Como toda história italiana, houve muitas coincidências para a realização do primeiro giro, primeiro prometeram um premio de 25.000 liras, que não tinham então chamaram um amigo contador de um banco para tentar conseguir a verba, e viajando pela Itália foram felizes em conseguir patrocínio para cobrir satisfatoriamente todos os custos da prova, em especial com um casino em San Remo, onde um ex-funcionário da Gazzetta ajudou a convencer o dono a patrocinar o evento.

Com 8 brutais estágios cobrindo 2441km a competição terminou em 30 de maio tendo Luigi Gana como vencedor, as publicações relatam que 127 ciclistas largam e 49 completaram. Até 1913 eram atribuídos pontos para os vencedores de etapa que somados davam a classificação geral, algo como hoje em dia é dado a camisa vermelha.

Em 1914 a prova pela primeira vez é medida por tempo total, o vencedor do ano recebeu uma punição de 3h por se agarrar a um carro (ah Vicenzo!!!!) numa subida.

O giro para de 1915 a 1919 por conta da segunda guerra mundial, falamos das décadas seguintes no próximo artigo: Binda Coppi e Bartali.