Froome! Tricampeão do Dauphiné!

Le Pont-de-Claix / Superdévoluy

Chega ao final o Criterium du Dalphiné 2016, partindo de Le Pont-de-Claix na região metropolitana de Grenoble para Superdévoluy uma famosa estação de esqui durante o inverno em com muita cor e esportes radicais no verão.

superdevoluy

Ao contrário da maioria das voltas onde o ultimo dia é reservado a uma etapa plana, a Criterium du Dalphiné 2016 escolheu um trajeto bastante técnico com muita montanha partindo de Le Pont-de-Claix para Superdévoluy passando por seis montanhas categorizadas sendo duas de categoria 1, confira no perfil altimétrico da etapa:

daup-e7p

Hoje pela manhã, um pouco mais cedo por conta da grade da Eurosport na qual o ciclismo tem papel importante, o Criterium du Dauphiné encontrou seu campeão de 2016, mas não sem emoção! Na largada estavam Froome com 21s sobre Richie Porte e Bardet na luta pela camisa amarela, Boasson Hagen liderava a classificação por pontos pela camisa verde com 10 pontos de vantagem sobre Alaphilippe que somente com um segundo geral na etapa poderia vencer a camisa, Thibaut Pinot na camisa de montanha com vantagem no desempate para Teklehaimanot pela passagem na montanha mais difícil, seria a disputa mais acirrada, já a camisa branca esteve por toda a semana com Alaphilippe como melhor ciclista jovem, porém a diferença para Adam Yates de apenas seis segundos.

 

Froome, vestiu pela décima segunda vez a camisa amarela no Dauphiné, apenas quatro pilotos usaram por mais vezes, Bernard Hinault (19), Nello Lauredi e Wiggins (14) e Bernard Thévenet (13), este o atual diretor da prova.

 

Assim muita marcação nos primeiros quilômetros para evitar algum candidato as camisas escapar, logo no km 13,5 a meta de montanha de Côte de Monteynard de segunda categoria teve:

1. Daniel Navarro, 5 pontos

2. Jérôme Coppel, 3

3. Jesus Herrada, 2

4. Dario Cataldo, 1

Após a descida e mais algumas tentativas de fuga neutralizada, nova subida, dessa vez em Cat3, Jérémy Roy levou os dois pontos seguido por Grmay com 1, na descida um grupo com 20 pilotos estabeleceu a fuga do dia, com 100km para o final a vantagem era de três minutos. A Etixx vai para ponta e no trecho mais plano da etapa trabalha para reduzir a diferença.

Um punhado de pilotos abandonou durante a zona de abastecimento, entre eles Purito, Mollema e Paulinho, feio…

A prova caminhava rápido e veio a terceira montanha do dia, Côte de Saint Laurent du Cros, de quarta categoria Teklehaimanot ganhou o ponto e naquele momento era o líder virtual da camisa de bolinhas vermelhas.

Na subida para o Col de Moissière, Stephen Cummings abriu uma vantagem de vinte segundos sobre a fuga, e os contra ataques levaram a fuga se despedaçar em pequenos grupos com o pelote atrás a 2’20”, a meta de primeira categoria teve:

1. Stephen Cummings, 10 pontos

+1.40:

2. Tsgabu Grmay, 8

+ 2.20:

3. Daniel Teklehaimanot, 6

4. Jurgen Van den Broeck, 4

5. Alexey Lutsenko, 2

6. Jack Bauer, 1

Faltavam 37km para o final e Cummings aumentava a diferença para 4’10, aproveitando-se da descida e mantendo uma diferença mais que segura para a última subida de terceira categoria.

No pelote a Etixx trabalhava na ponta, enquanto isso Pinot e Teklehaimanot sobraram o que já definiu a camisa de montanha para Daniel Teklehaimanot com vantagem de um ponto para Pinot, com 15km para o final toda fuga foi alcançada a exceção de Stephen Cummings que solo mantinha 4’30” e escalava para vitória o Col du Noyer.


Como última tentativa de tomar a camisa amarela de Frome, Contador atacou na subida, a Sky reagiu com Wout Poels e Contador foi novamente para o ataque, então Frome, Bardet e Porte partiram atrás de Contador, não só neutralizaram como passaram a frente do espanhol na meta de primeira categoria:

 

1. Stephen Cummings, 10 pontos

+ 3.15:

2. Romain Bardet, 8

3. Chris Froome, 6

4. Richie Porte, 4

5. Alberto Contador, 2

+ 3.30:

6. Dan Martin, 1

+ 3.35: Yates, Meintjes, Rosa

+ 3.40: Navarro

+ 3.55: Alaphilippe

Restavam ainda quatro quilômetros para o final, o grande narrador da formula Indy, Teo José diria: Não perde mais Stephen Cummings! Mas atrás o pau comia, Alaphilippe com Henao puxavam um grupo de oito perseguidores, para com 2km do final alcançar o grupo de Froome, Bardet, Porte e Contador, com isso nove dos dez primeiros colocados na geral estavam juntos.

 

Na chegada, Stephen Cummings de 35 anos pela Dimension Data ganhou sua terceira etapa no ano, Dan Martin ficou em segundo, Bardet em terceiro, com isso o pódio desta edição do Criterium du Daulphiné ficou com Froome, Bardet e Martin.

 

Froome se iguala a Hinault em vitórias no Dauphiné, uma marca e tanto para o simpático britânico nascido no Quênia que foi homenageado pela equipe, e nós do pelote lembramos as duas vezes que Froome foi gregário de luxo de Sir Bradley Wiggins:

troll

 

Foi um dia de muita alegria para a Dimension Data, uma equipe pequena que não disputa a geral, mas teve hoje o vencedor da etapa, o vencedor por pontos e o rei da montanha!

Cummings, Boasson Hagen e Daniel Teklehaimanot!

dimensiondata