A troca fatal! Campenaerts não planejou trocar a bicicleta!

Uma polêmica correu o mundo do ciclismo neste domingo. Victor Campenaerts da Lotto Soudal trocou de bicicleta durante o contra relógio. A troca em si foi um fiasco com Victor perdendo o tempo que lhe garantiria a vitória caso não houvesse trocado. Todo mundo do ciclismo criticou equipe, mecânicos pela situação. E não era bem isso. Primeiro confira no vídeo a troca frustrada:

Campenaerts perde bem mais que os onze segundos que o separaram da vitória na etapa. A cronologia aparente indicava uma troca mal planejada, porém não foi bem assim. Foi um problema mecânico! Ao trocar a marcha da coroa grande para a pequena a corrente caiu e travou, Victor então parou e pegou a bicicleta reserva de estrada.

Ai entra o primeiro erro técnico, a bicicleta reserva estava com a marcha posicionada em posição mais pesada. Acredite o pessoal das equipes treina fazer essas trocas, por isso o mecânico demora a entender que o ciclista esta com dificuldade. Então um tifose (torcedor) empurra o ciclista até que ele consegue engatar a marcha. O próprio mecânico volta para o carro sem notar que Victor ainda tinha dificuldade para subir na bicicleta.  A situação foi uma somatória de erros. Mas o principal que precisamos destacar é que a troca não foi planejada, embora tenha sido mal executada.

 

Na entrevista após a etapa, Victor esclareceu:

“O plano era pedalar abaixo do limite (FTP) antes da subida e então pedalar acima do limite. Uma estratégia similar a que utilizei durante o campeonato mundial em Innsbruck. Como um especialista em contra relógio, é muito frustrante quando você tem um problema mecânico. Eventualmente, foi bom – nós havíamos acertado – que o mecânico optasse pela bicicleta de estrada. Nós havíamos acertado isso antes, se eu tivesse um problema mecânico na subida, nós poderíamos trocar para uma bicicleta de estrada. A troca não aconteceu bem, e devido a adrenalina eu estava um pouco frustrado após o final. Então eu pensei que teriam de cinco a dez ciclistas que melhorariam meu tempo, mas um após o outro não conseguiam.”

“Eu fiquei . Se eu tivesse vencido a troca de bicicletas teria sido esquecida. Se não, eu seria amaldiçoado. Infelizmente, isso aconteceu mais tarde. Eventualmente eu perdi o CRI por onze segundos, então sem aquele problema mecânico teria sido uma vitória. Mas essas são as duras leis de se competir no mais alto nível do esporte e eu tenho que viver com isso. Eu não culpo ninguém. A última etapa de contra relógio encaixa ainda melhor no meu estilo. Eu espero sobreviver as montanhas sem muitos problemas e perda de energia para lutar por uma vitória em Verona.” Victor Campenaerts

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.