Por dentro das regras, categoria de corridas e equipes UCI

Luiz Papillon

Muitas vezes durante as transmissões de provas de ciclismo ouvimos termos como “Equipe ProContinental” ou “Equipes Convidadas”, para esclarecer como funciona a categorização de provas e equipes fizemos este texto. De uma forma resumida o Circuito Mundial (World Tour ou Pro-Tour como alguns dizem) é formado pelas equipes UWT (Uci World Tour) que é a elite do ciclismo mundial, a categoria imediata abaixo é chamada de Profissional Continental (PCT) e categoria de menor destaque de Continental, abaixo disso as equipes são consideradas clubes. Atualmente o ciclismo brasileiro não tem nenhuma equipe sequer continental, enquanto em 2016 e 2017 a Funvic foi Profissional Continental.

Devido a falta de cultura ciclística muitas vezes para trazer o ciclismo mais próximo ao público o narrador ou comentarista acaba recorrendo à analogias como dizer que o “World Tour é a Formula 1 do ciclismo”, isso é bem verdade porém o formato da F1 impede que um carro de GP2 dispute a prova simultaneamente, já no ciclismo ocorre algo mais parecido com o tênis onde o jogador consegue ranking para participar de determinada competição.

Cada corrida homologada pela União Ciclística Internacional recebe um ranking no qual a organização precisa atender determinados padrões para promover a prova. O primeiro número remete ao tipo de corrida, quando tem o numero 1 a prova é de um dia e quando o número é 2, a prova é de vários dias; etape em frânces traduzido como etapa para português e stages em inglês, a segunda indicação é a classe da prova, dividida em 1ª, 2ª, Superior (aqui traduzimos Hours Categorie como Classe Superior) e Circuito Mundial (UWT – UCI World Tour):


Uma indicação a qual categoria do ciclista também é indicada:

Os mundiais, provas de nações e campeonatos nacionais recebem nomenclatura própria.

As equipes são classificadas:

Quando uma equipe não possui a classificação continental ela é considerada  um clube e só pode participar de eventos no próprio país de registro ou em competições amadoras, por isso algumas federações participam com selecionados nacionais e/ou regionais em provas continentais utilizando uma equipe ou a fusão de duas equipes.

Dentro da estrutura organizacional, a UCI mantem regras para a participação nas provas conforme a categoria e continente:

 

Além das séries organizadas com a competição como objetivo principal a UCI introduziu em seu calendário duas modalidades voltadas ao ciclismo amador, o Circuito Mundial de Granfondos e a Velothon que visam dar a experiencia de competição oficial para ciclistas amadores, sendo que o diferencial para a GFWS (Granfondo World Series) é que os melhores ranqueados se classificam pra um mundial.

 

Sua opinião é importante, compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Wout Poels vence na Rota do Sol! Froome foi sétimo!

Com uma subida agonizante no final Woult Pauls da Sky venceu a segunda etapa da Volta a Andalucia, a fuga teve Diego Rubio como ultimo remanescente que não resistiu ao brutal gradiente da subida ao Alto de Allanadas. Nos últimos dois quilômetros os ataques começaram, primeiro com Mikel Landa agora […]

Receba as novidades em seu e-mail

%d blogueiros gostam disto: